Olhar Direto

Segunda-feira, 10 de agosto de 2020

Notícias / Cidades

Diabético, professor obrigado a entregar cestas básicas morre vítima do coronavírus

Da Redação - Wesley Santiago

10 Jul 2020 - 09:15

Foto: Reprodução/Facebook

Diabético, professor obrigado a entregar cestas básicas morre vítima do coronavírus
O professor Ronaldo Teodoro, diretor da EE Professora Edeli Mantovani de Sinop (447 quilômetros de Cuiabá), que lutava para conseguir uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na última quinta-feira (09), morreu na madrugada desta sexta-feira (10), mesmo após conseguir um leito no Hospital Regional da cidade. A suspeita é que ele tenha contraído o novo coronavírus ao realizar, contra a vontade, entrega de cestas básicas na unidade em que era diretor.

Leia mais:
Obrigado a entregar cestas básicas, professor diabético pega Covid-19 e luta para conseguir UTI
 
Ronaldo conseguiu ser transferido ainda na quinta-feira para uma UTI do Hospital Regional de Sinop. Porém, horas depois, já durante a madrugada de hoje, não resistiu à luta contra a Covid-19 e foi a óbito. Ele estava na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) desde segunda-feira.
 
Na quinta-feira, em entrevista ao Olhar Direto, a filha dele, Elisa Teodoro, pontuou que o pai não queria participar da distribuição de cestas para as famílias, justamente por ser do grupo de risco (diabético).
 
“Ele pegou isso devido ao governo, que mandou ele comprar alimentos para formar cestas básicas para entregar para os beneficiários do Bolsa Família e também para os alunos. Teve contato com pessoas de 350 famílias, ele tem 50 anos e a diabetes muito alta. Não queria trabalhar, mas acabou sendo obrigado a ir”, disse a filha.

Em nota, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Educação Pública (Sintep), Valdir Pereira, lamentou o fato: Hoje partiu um colega professor que deixará saudades. Uma  pessoa de personalidade forte,  sensível e muita inteligência. Meu professor na graduação e que era uma referência para todos os seus alunos, pois, sabia ensinar com paciência, transmitir uma alegria contagiante em todas as aulas, escutar atentamente as dúvidas daqueles que o procuravam. Estava como diretor de escola estadual, em Sinop, e onde possivelmente foi contaminado com a COVID-19".
 
A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) não respondeu sobre o caso.

9 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • jose nildo
    12 Jul 2020 às 13:19

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Gilson
    11 Jul 2020 às 17:11

    Por que não substitui essas cestas básicas por dinheiro na conta dessas famílias?

  • João bicudo
    11 Jul 2020 às 10:01

    Nessa hora da necessidade de se estar em dias com suas funções vitais vai se sair melhor quem se vigiou cuidou zelou e não estrapolou durante as vida, é o preço do descuido e falta de atitudes

  • O Andarilho
    10 Jul 2020 às 16:07

    É....Essa conversa de ser obrigado participar de compras, distribuição . Conversa fiada, não sou fâ do Mauro Mentes, mas é notório que através de portaria foi determinado o afastamento de todos que apresentasse um grau de risco para ter o direito de se afastar e trabalha OnLine. A toda a família do professor minhas sinceras condolências .

  • Ela
    10 Jul 2020 às 14:49

    Olhar direto, entreviste a outra parte, antes de publicar tal notícia e vcs constatarão que servidores do grupo de risco foram afastados do trabalho. Era só apresentar um atestado médico. Duvido que publiquem.

  • mso
    10 Jul 2020 às 14:10

    Ninguém é obrigado coisa nem uma " Quem falou isso ?

  • Wess Aierock
    10 Jul 2020 às 12:55

    Ninguém ou estado tem o pode obrigar alguém a fazer aquilo que não quer e que não esteja dentro de suas funções. A questão era ter reportado a impossibilidade para tal demanda!

  • Alguém
    10 Jul 2020 às 11:55

    E agora? O governo porcaria vai trazer esse senhor de volta? Revolta isso

  • Zeca
    10 Jul 2020 às 11:34

    Por que obrigado? Como era portador de comorbidades era só apresentar um atestado médico e seria dispensado.

Sitevip Internet