Olhar Direto

Sexta-feira, 14 de agosto de 2020

Notícias / Cidades

Salões de beleza e barbearias lideram ranking dos estabelecimentos mais denunciados

Da Redação - Arthur Santos da Silva

12 Jul 2020 - 07:51

Foto: Reprodução

Salões de beleza e barbearias lideram ranking dos estabelecimentos mais denunciados
Entre os dias 23 de março e 26 de junho, o Disque-denúncia da Secretaria Municipal de Ordem Pública de Cuiabá registrou 837 denúncias contra estabelecimentos comerciais. No topo do ranking aparecem os salões de beleza/barbearias, com 181 denúncias; os supermercados, com 106; e as academias, com 67 denúncias.

Leia também 
Fotos e vídeos revelam hospital abandonado em Cuiabá durante a pandemia


Das 14 semanas registradas no balanço da Operação Integrada de Prevenção à Covid-19, os salões de beleza e barbearias não foram denunciados em apenas uma. Os supermercados ficaram de fora das denúncias em apenas quatro semanas e as academias em sete semanas ficaram de fora da lista.

Outros segmentos comerciais com alto índice de denúncias são: cursos e educação (62), bares (61), comércio de rua/ambulantes (53), distribuidoras de bebidas (48), restaurantes (40), lojas de eletrodomésticos (37), lojas de roupas (37), lanchonetes (26), utilidades (26), condomínios (24), auto peças (22) e óticas (21).

Esses tipos de comércio somam mais de 96% das denúncias, 811 em números absolutos. O levantamento leva em consideração apenas as denúncias feitas em horário comercial, de segundas às sextas-feiras entre 23 de março e 26 de junho. (Confira gráfico com a evolução das denúncias ao longo do período na galeria de imagens abaixo)

Além dos setores já citados, mais categorias foram denunciadas ao longo de 14 semanas de isolamento social. São elas: padarias, motéis, indústrias, lojas variadas, refrigeração, pet shops, concessionárias de veículos, lojas de embalagens, lojas de móveis, garagens de venda de automóveis, lojas de calçados, clínicas de pilates, setor de alimentos e bebidas, esporte e lazer, campos de futebol, condomínios, serviços de saúde, telefonia e internet, espaços públicos, moda e acessórios, papelarias, madeireiras, prédios comerciais, shopping centers.

Avaliação

Conforme relatório da Secretaria de Ordem Pública, houve maior resistência de acatamento dos decretos municipais por parte de muitos proprietários de bares e lanchonetes, especialmente nos bairros mais afastados do centro da cidade. O mesmo foi observado junto aos vendedores ambulantes, principalmente aqueles que trabalham com trailer de lanches, barracas de frutas, verduras e assados, aos finais de semana. Os fiscais também encontraram dificuldade em fazer cumprir os decretos junto aos camelôs que ficam na área central de Cuiabá, por se tratar de local com grande fluxo de pessoas.

Conforme o secretário de Ordem Pública, coronel Leovaldo Sales, os agentes de regulação e fiscalização não estão insensíveis à situação financeira delicada na qual a maioria da população se encontra, tanto é que focam no trabalho de conscientização e não punitivo. No entanto, precisam seguir as determinações e fazer valer os decretos municipais, que visam conter o avanço do novo coronavírus, causador da Covid-19, e mitigar o colapso no sistema público de Saúde. 

“Procuramos ter sempre o bom senso de tolerar e entender certos conflitos e não penalizar ainda mais as pessoas. Todavia, não deixando escapar de nós a certeza de que a saúde e a vida são os maiores bens que possuímos”, afirma.

Denuncie

A população pode ajudar a fiscalização da Secretaria de Ordem Pública pelo Disque-denúncia (65) 3616–9614, que atende de segunda a sexta-feira, em horário comercial. Nos demais horários, finais de semana e feriado, as denúncias devem ser feitas pelo 190.

9 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Oliveira Jr
    13 Jul 2020 às 11:10

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Carlos
    13 Jul 2020 às 11:06

    Fecham uns e deixam abertas outros só na quinze tem 3 lojas de bike aberta loja de decoração loja de armarinho .. ou fecha tudo ou não fecha nada é muita falta do que fazer.

  • Essencial
    12 Jul 2020 às 20:35

    Essa Nina deve ser funcionaria pública o dela tá garantido mais do jeito que anda esse Brasil pode escrever vao privatizar desde caixa econômica banco do Brasil correios e logo logo os cargos público tudo terceirizado igual as rodovias ... aí vai prevalecer o funcionalismo privado aí vao dar valor numa carteira de trabalho.

  • Paulina Santos
    12 Jul 2020 às 19:41

    Tá infestado de ambulantes nas calçadas do centro, além de ser injusto com os comerciantes locais que pagam seus impostos, e estão com seus negócios fechados, a grande maioria deles não usa máscara, disseminando o vírus no ar. Autoridades, tomem providências!

  • Essencial
    12 Jul 2020 às 16:33

    A maioria das empresas citadas são essenciais só ver o decreto.

  • Helder
    12 Jul 2020 às 09:22

    Os comerciantes querendo trabalhar e a fiscalização rigorosa, mais colocar 5 mil pessoas em um funeral isso pode. ABSURDO.........

  • Helder
    12 Jul 2020 às 09:22

    Os comerciantes querendo trabalhar e a fiscalização rigorosa, mais colocar 5 mil pessoas em um funeral isso pode. ABSURDO.........

  • silvio lopes de moraes
    12 Jul 2020 às 08:58

    Ilegalidade fechar esses estabelecimentos ,deveriam acionar a justiça,pois foram definidas como atividade essencial pelo Presidente da Republica o único que tem poder legal pra definir sobre o tema,esse país virou uma coisa horrível,Ministério Publico e STF prevaricando ao não proteger direitos fundamentais de nós cidadãos,é isso que esta acontecendo,.Esses mesmos que estão ai fechando ,são os que são pagos por as empresas que fecham através dos tributos!

  • Nina
    12 Jul 2020 às 08:35

    Como sugestão e atento ao dever de informação a matéria poderia divulgar os nomes dos estabelecimentos que descumprem as normas.

Sitevip Internet