Olhar Direto

Domingo, 20 de setembro de 2020

Notícias / Cidades

“Não tem como eu sair dessa”; ouça o áudio atribuído a PM morto em confronto com o Bope

Da Redação - Wesley Santiago/Max Aguiar

30 Jul 2020 - 10:40

Foto: Reprodução/Facebook

“Não tem como eu sair dessa”; ouça o áudio atribuído a PM morto em confronto com o Bope
Um áudio atribuído ao policial militar Oacy da Silva Taques, morto em confronto com o Batalhão de Operações Especiais (Bope) na madrugada da última quinta-feira (29), nos fundos do Belvedere 2, bairro Itamaraty, em Cuiabá, mostra a preocupação do homem com o que chamou de “situação que não tem como voltar atrás”. Na gravação, apesar de mostrar otimismo em certo ponto, ele diz que não ter como “sair dessa”. O PM e outras cinco pessoas, incluindo o filho de um sargento, acabaram perdendo a vida após atirar contra a unidade especializada.

Leia mais:
Politec identifica os seis mortos em confronto com o Bope
 
No áudio, que parece ter sido gravado na véspera do ocorrido, o policial militar pede para que uma mulher deixe-o guardado, para que mostra a sua ex-mulher. “O que eu vou falar para você agora, ninguém sabe. Estou indo em uma situação, que não tem como eu voltar atrás mais. Não vai acontecer nada comigo, mas se acontecer, deixa esse áudio gravado”.
 
“Quero que você fale para a A. que eu amo muito ela, meu filho, do fundo do meu coração. Quero que me perdoe se eu magoei ela com alguma coisa. É obvio que eu fiz isso, mas ficou para trás. Estou em uma missão meio bomba amanhã, não tem como eu sair dessa. Mas se der certo, vai ser bom também, porque nunca mais vou precisar fazer nada errada na minha vida”, finaliza o áudio.

Olhar Direto · OD - Áudio atribuído a PM morto em confronto
 
As autoridades ainda não confirmaram de forma oficial que o áudio seria do soldado Oacy da Silva Taques.

O tenente-coronel Roque, comandante do Bope, disse que o aúdio está sendo atribuido ao policial militar. Porém, isso ainda terá de ser confirmado durante as investigações, através de perícia.
 
As investigações, ainda no início, apontam que os seis suspeitos iriam cometer um assalto em uma residência do Belvedere. A quantia estimada de ‘lucro’ no crime seria de R$ 600 mil, valor que seria dividido de forma igualitária entre os membros da suposta quadrilha.
 
Conforme o Olhar Direto já havia adiantado, o policial militar Oacy da Silva Taques e Leonardo Vinícius de Moraes Alves, filho de um sargento da PM estão entre os mortos no confronto. Também morreram Gabriel de Paula Bueno, Jhon Dewyd Bonifácio de Lima, André Felipe de Oliveira Silva e William Diego Ribeiro Morais.
 
De acordo com a Polícia Militar, os seis homens estavam em dois carros (Corolla blindado e Uno) e atiraram contra a viatura do Bope durante uma perseguição.
 
Ao Olhar Direto, o  tenente-coronel Ronaldo Roque da Silva, comandante do Bope, disse que os bandidos estavam sendo monitorados desde a última terça-feira (28). No local onde os criminosos foram mortos, os PMs encontraram três revólveres e a mesma quantidade de pistolas.
 
No boletim, registrado na central de flagrantes da Polícia Civil, o sargento da PM, pai de um dos homens mortos, explicou que guardou a arma em seu quarto, por volta das 22h de ontem e que às 07h de hoje percebeu que a pistola não estava mais no local e nem o filho havia sido localizado.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet