Olhar Direto

Quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Notícias / Cidades

Feminicídios aumentam 68% e estupros de vulnerável 30% no primeiro semestre de 2020

Da Redação - Isabela Mercuri

03 Ago 2020 - 08:56

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Feminicídios aumentam 68% e estupros de vulnerável 30% no primeiro semestre de 2020
Nos seis primeiros meses de 2020, o número de feminicídios em Mato Grosso aumentou 68% em relação ao mesmo período de 2019. De janeiro a julho, 32 mulheres foram vítimas do crime, contra 19 no ano passado. O número de estupros de vulnerável também aumentou, neste caso, de 20 para 26 ocorrências, um crescimento de 30%.

Leia também:
"Violência contra a mulher tem que ser cotidianamente relembrada", diz delegada

Apesar deste aumento, os registros de outros crimes de violência doméstica contra a mulher diminuíram em 2020. Os dados são da Superintendência do Observatório de Violência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT). No entanto, não há o que comemorar: a própria secretaria informou, ainda em abril, que os casos não estavam sendo notificados por conta do isolamento social. Durante a quarentena, a vítima fica isolada junto ao seu agressor, sendo inibida de realizar denúncias.

No mês de julho, a defensora pública Rosana Leite, coordenadora do Núcleo de Defesa da Mulher (Nudem) de Cuiabá, disse ao Olhar Direto: "Apesar de não ser motivo para a violência, fica bem evidente que esse aumento dos feminicídios ocorreu por conta da pandemia, infelizmente. Nada é motivo para a violência. O isolamento social não criou os agressores. Eles já existiam. Se não agredissem nesse momento, iriam agredir em outra oportunidade. Foi só um pretexto para que essa agressão aparecesse de alguma forma".

De acordo com a assessoria, os números divulgados até agora são dados preliminares, já que durante a investigação dos crimes pode haver mudanças na autoria e motivação, podendo ser classificados como homicídios dolosos. Inclusive, o número de homicídios dolosos contra mulheres entre 18 e 59 anos apresentou redução significativa de 46%.

Neste ano, 14 casos de homicídios dolosos foram registrados, enquanto que no ano passado este número chegou a 26 crimes. No total de mortes envolvendo vítimas femininas somando todas as motivações, 46 crimes foram registrados este ano, enquanto que 45 ocorreram no mesmo período do ano passado, ou seja: um crescimento de 2%.

Já o número de homicídios dolosos tentados diminuiu 23%, sendo registrados 108 tentativas de homicídio contra 140 no mesmo período do ano passado.

Outros crimes

A maior parte dos outros crimes contra a mulher apresentou redução nos índices. O crime que mais apresentou registros foi o de ameaça (8.644 registros), que teve redução de 15% em relação ao mesmo período do ano passado. Já lesão corporal somou 4.506 denúncias, totalizando redução de 11% em relação a 2019.

Na sequência estão injúria (2.436 casos e redução de 17%), difamação (1.242 casos e redução de 29%), calúnia (750 casos e redução de 20%), perturbação de tranquilidade (417 casos e redução de 29%) e violação de domicílio (420 casos e redução de 7%).

Seguindo a mesma tendência, o número de estupros diminuiu 5%. No primeiro semestre de 2019 ocorreram 188 estupros, já neste ano foram 179. Já o estupro de vulnerável apresentou aumento de 30%, passando de 20 casos no ano passado para 26 ocorrências neste ano.

Denúncia

Para registrar qualquer denúncia basta ligar para o 190, 197, 180 e 181. Vale lembrar que todas as denúncias são sigilosas. 

Além disso, as denúncias também podem ser registradas presencialmente nas delegacias (PJC-MT) de Mato Grosso. Em Cuiabá, a Delegacia Especializada de Defesa da Mulher funciona na Rua Joaquim Murtinho, nº 789, Centro Sul.

Já em Várzea Grande, a Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, da Criança e do Idoso funciona na Rua Almirante Barroso, 298, Centro Sul (próximo do Terminal André Maggi).

Comentários no Facebook

Sitevip Internet