Olhar Direto

Segunda-feira, 26 de outubro de 2020

Notícias / Cidades

Mãe de Isabele diz que farsa está montada e filha foi assassinada por motivo fútil

Da Redação - Max Aguiar

13 Ago 2020 - 14:05

Foto: Rogério Florentino - Olhar Direto

Mãe de Isabele diz que farsa está montada e filha foi assassinada por motivo fútil
Um mês após o acontecimento que chocou Cuiabá e as forças policiais, a empresária Patrícia Guimarães Ramos, mãe de Isabele Guimarães, 14 anos, que morreu vítima de um tiro no rosto, abriu o coração durante o evento que marcou os 30 dias da morte da adolescente. Ela disse que o caso não foi um acidente e sim um assassinato por motivo fútil.

Leia mais:
Familiares e amigos fazem carreata e soltam balões brancos em homenagem a Isabele; Vídeos
 
Segundo Patrícia, há uma farsa montada pela família da jovem que teria atirado contra Isabele e muitas dúvidas ainda pairam sobre o caso. Na quarta-feira (12), inclusive, o Olhar Direto teve acesso ao laudo da cena do crime, onde o perito que esteve na casa disse que o tiro não teria sido acidental e sim disparado por alguém que estava dentro do banheiro, em uma curta distância e de maneira frontal. 

“Assassinaram a minha filha. As pessoas estão agindo em favor dessa história mentirosa de que foi um tiro acidental. Não foi um tiro acidental. Foi assassinato torpe, por motivo fútil e torpe. O que mais é preciso? Quantas provas são necessárias para mostrar que isso não passa de uma farsa?”, declarou a mãe da vítima na manifestação.

O ato, que saiu pelas ruas de Cuiabá, foi organizado pelos familiares e amigos da adolescente. À imprensa, Patrícia Ramos reforçou que a manifestação também era para chamar a atenção das autoridades para que as investigações ocorram de forma célere e os responsáveis sejam penalizados.

“Queria dizer que essas pessoas estão sendo cúmplices e hoje o motivo da nossa carreata é para mostrar nossa indignação. Essas pessoas elas estão soltas. Eu e minha família estamos destruídos, despedaçados. Estamos hoje aqui clamando à Justiça, clamando à polícia e ao Ministério Público, que aja de maneira célere, que trate a gente com honestidade e com respeito”, disse Patrícia.

O caso 

Isabele Guimarães Ramos, 14 anos, foi morta com um tiro no rosto disparado de uma pistola calibre 380. Ela morreu dentro do banheiro da casa que pertence a família Cestari, no condomínio Alphaville, no dia 12 de julho deste ano. 

A suspeita de ter atirado é a melhor amiga de Isabele, um adolescente de também 14 anos. Ela teria dito aos policiais que por um descuído, o case onde estavam as armas caiu de sua mão e no momento de pegar a arma ela disparou. 

O corpo de Isabele foi localizado dentro do banheiro, com a cabeça voltada para o box. A bala transfixou a cabeça e saiu na nuca. Por enquanto, não há ninguém preso pelo crime. 

O caso é investigado pela Polícia Civil, através da Delegacia Especializada do Adolescente. 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet