Olhar Direto

Quinta-feira, 24 de setembro de 2020

Notícias / Cidades

Mato Grosso se aproxima dos três mil testes acumulados e números reais da Covid-19 continuam defasados

Da Redação - Wesley Santiago

13 Ago 2020 - 11:35

Foto: iStock

Mato Grosso se aproxima dos três mil testes acumulados e números reais da Covid-19 continuam defasados
Balanço divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), na última quarta-feira (12), mostra que Mato Grosso se aproxima dos três mil testes de coronavírus acumulados. Tal fato é prejudicial no combate à pandemia, já que esconde os números reais de mortes e casos da doença no Estado. Após o governo federal suspender contrato com a empresa que disponibiliza insumos para os exames, tal situação tornou-se corriqueira.

Leia mais:
Governo de MT envia 93,2 mil testes rápidos para municípios, confira lista
 
Conforme as informações da Secretaria de Estado de Saúde (SES), um total de 62.964 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT). Até o fechamento na quarta-feira, existiam 2.869 exames ainda para serem analisados pelos profissionais da unidade, que trabalham incansavelmente.
 
Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19, estão Cuiabá (14.470), Várzea Grande (5.523), Rondonópolis (4.276), Lucas do Rio Verde (3.490), Sorriso (3.276), Tangará da Serra (3.037), Sinop (2.517), Primavera do Leste (2.174), Nova Mutum (1.649) e Campo Novo do Parecis (1.339).
 
Dos 69.085 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 20.466 estão em monitoramento e 46.355 estão recuperados.
 
Testes rápidos foram adquiridos pelo governo do Estado na tentativa de melhorar a testagem em massa. Porém, estas exames servem apenas para fins de triagem. As confirmações seguem feitas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen), que teve sua capacidade de exames reduzida, após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) decidir não renovar o contrato com as empresas responsáveis por fornecer materiais.
 
O secretário de Estado de Saúde Gilberto Figueiredo afirmou que não é possível aumentar a capacidade de realização de testes e sugeriu que o tratamento já comece após diagnóstico feito pelos médicos com análise clínica e exames laboratoriais, como a tomografia de pulmão.
 
Para Gilberto, não há laboratórios disponíveis para dar vasão aos exames. “O Lacen já atualizou a diferença de prazo para fazer os testes, que agora é de 24h, e está fazendo por dia de 700 a 800 testes”, disse.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet