Olhar Direto

Quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

Notícias / Política MT

Deputado rebate críticas sobre Renda Brasil ser o novo Bolsa Família: “o que é bom tem que se copiar”

Da Redação - Isabela Mercuri / Do local - Max Aguiar

12 Set 2020 - 17:00

Foto: Divulgação

Deputado rebate críticas sobre Renda Brasil ser o novo Bolsa Família: “o que é bom tem que se copiar”
O deputado estadual bolsonarista Silvio Fávero (PSL) rebateu as críticas feitas ao ‘Renda Brasil’, programa de transferência de renda que tem sido a principal bandeira do governo federal. Aos que dizem que trata-se apenas de um Bolsa Família com novo nome, ele disparou: “o que é bom tem que se copiar!”.

Leia também:
Mato Grosso deve receber R$ 50 milhões de auxílio do Governo Federal para artistas e setor cultural

“Tem um lema, isso eu aprendi na faculdade, de que nada se cria, tudo se copia. E o que é bom tem que aperfeiçoar e melhorar. É o que o nosso presidente está fazendo”, declarou o deputado.

A ideia de que o Bolsa Família é “bom”, no entanto, não foi sempre da opinião do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Em agosto de 2010, por exemplo, ele – que ainda era deputado federal pelo Rio de Janeiro – disse que o programa era uma moeda de troca para comprar votos do Nordeste.

No ano seguinte, falou que o Bolsa Família era um “projeto para tirar dinheiro de quem produz e dá-lo a quem se acomoda, para que use seu título de eleitor e mantenha quem está no poder". Em 2012, voltou a criticá-lo, dizendo, em entrevista à Record News: “ Bolsa Família é uma mentira, você não consegue uma pessoa no Nordeste para trabalhar na sua casa. Porque se for trabalhar, perde o Bolsa Família”, afirmou.

Em 2017, já candidato à presidência da República, Bolsonaro declarou: “[Se] para ser candidato a presidente tem de falar que vai ampliar o Bolsa Família, então vote em outro candidato. Não vou partir para a demagogia e agradar quem quer que seja para buscar voto”.

O Renda Brasil, que tornou-se um dos objetivos do presidente e pedra no sapato do ministro da economia Paulo Guedes, quer substituir o Bolsa Família, englobando o atual auxílio emergencial e outros programas do governo. A ideia é que ele pague aos beneficiários de R$ 200 a R$ 300. Atualmente, o Bolsa Família paga cerca de R$ 190 por domicílio (podendo chegar a no máximo R$ 205).

Comentários no Facebook

Sitevip Internet