Olhar Direto

Segunda-feira, 30 de novembro de 2020

Notícias / Cidades

Homem é preso ao desacatar, cuspir e mostrar órgão genital a policiais militares

Da Redação - Bruna Bom

21 Set 2020 - 14:02

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Homem é preso ao desacatar, cuspir e mostrar órgão genital a policiais militares
Um homem, de 27 anos, foi preso na madrugada deste domingo (20) após desacatar e mostrar o órgão genital a policiais militares. O caso aconteceu no município de Sinop (477 quilômetros de Cuiabá), durante o atendimento de uma ocorrência de perturbação de sossego.

Leia mais:
Homem joga esposa de veículo em movimento e tenta atropelá-la ao engatar marcha ré

Segundo informações do boletim de ocorrência, os policiais receberam reclamações sobre um estabelecimento comercial que estava com o som alto. No local, o proprietário concordou em desligar o aparelho de som. 

Neste momento, o suspeito, que consumia bebida alcóolica no estabelecimento, questionou os policiais sobre o motivo de estarem no local, atrapalhando a festa ao invés de prender ladrões. Um dos militares tentou explicar, mas foi interrompido pelo homem que começou a gritar dizendo que os policiais queriam dinheiro para que a “festa” pudesse continuar.

Após isso, o suspeito se aproximou de um veículo que estava estacionado no local e desacatou a equipe novamente, dizendo ser ele quem pagava os salários dos policiais e dando início a xingamentos como ‘porcos’, ‘vagabundos’, entre outros. 

Depois de proferir as palavras de baixo calão, o homem abaixou o short, tirou o órgão genital para fora e começou a balançá-lo em direção aos policiais, enquanto erguia as mãos e mostrava o dedo. 

Diante disso, os militares deram voz de prisão ao suspeito, que não obedeceu e tentou resistir, cuspindo em um dos policiais, dizendo que não podia ser preso porque sua irmã “era advogada”. Já imobilizado, o homem chutou várias vezes a viatura.

Ele foi encaminhado à delegacia de Polícia Civil para os procedimentos necessários. O boletim de ocorrência foi registrado como ato obsceno, desacato e resistência, cuja pena máxima pode chegar a três anos e três meses pelos crimes praticados.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet