Olhar Direto

Sábado, 31 de outubro de 2020

Notícias / Política MT

‘Amizade é amizade, política é política’, diz Jayme sobre não apoiar Emanuel

Da Redação - Isabela Mercuri/ Max Aguiar

25 Set 2020 - 14:12

Foto: Reprodução

‘Amizade é amizade, política é política’, diz Jayme sobre não apoiar Emanuel
Apesar da amizade de longa data com o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), o senador Jayme Campos (DEM) diz não se incomodar em estar do lado oposto, politicamente, dele em Cuiabá e de seu filho, o deputado estadual Emanuel Pinheiro Neto (PTB), o ‘Emanuelzinho’, em Várzea Grande. Para Jayme, “Amizade é amizade, negócio é negócio e política é política”.

Leia também:
MDB oficializa candidatura de Kalil Baracat com Hazama na vice em convenção partidária

Em Cuiabá, o Democratas quase lançou o empresário Fábio Garcia para disputar a eleição à Prefeitura com o atual prefeito Emanuel Pinheiro, mas recuou de última hora, sinalizando apoio ao ex-prefeito Roberto França (PATRI). Segundo Jayme, atual e ex-prefeitos são seus amigos, mas em se tratando de eleição, ele é partidário.

“O DEM coligou com Roberto França, eu tenho que apoiar o Roberto França. Não tenho como ir com outro. Eu sou partidário. Amizade é amizade, negócio é negócio e política é política. Respeito, já disse e volto a repetir, ambos tanto o Emanuel Pinheiro pai quanto o Emanuel Pinheiro filho, mas eu tenho que votar, com certeza, na medida em que o partido está apoiando Roberto França eu tenho que apoiar Roberto França, não tem outro”, afirmou.

A declaração foi dada na última sexta-feira (18), durante visita a Sinop (500km de Cuiabá) junto à bancada e ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O senador ainda relatou que foi ‘criado junto’ com França na rua 24 de Outubro. “É um homem que eu tenho o maior respeito e admiração pela sua pessoa”, disse.

Já em Várzea Grande, a disputa é ainda mais acirrada. Muito além do fato de ser ou não ‘partidário’, foi Jayme quem lançou o candidato Khalil Baracat (MDB) para disputar com Emanuelzinho à prefeitura. O senador chegou a declarar, antes das convenções, que ‘pai e filho disputando eleições seria suicídio’. Na última semana, no entanto, amenizou o discurso.

“Essa é a democracia. É um direito dele líquido e certo na medida em que ele tem o direito. Ele tem CPF, RG, etc Quanto a isso aí desejo sucesso a todos, e espero com certeza que o povo de Várzea Grande vote no meu candidato que é Kalil Baracat e Hazama, prefeito e vice-prefeito”, declarou.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet