Olhar Direto

Quinta-feira, 03 de dezembro de 2020

Notícias / Política MT

“Quem me provocou primeiro foi ele”, diz Roberto França após programa eleitoral atacando Emanuel

Da Redação - Isabela Mercuri / Do local - Carlos Dorileo

21 Out 2020 - 17:36

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

“Quem me provocou primeiro foi ele”, diz Roberto França após programa eleitoral atacando Emanuel
Candidato à Prefeitura de Cuiabá, o ex-prefeito Roberto França (PATRI) afirmou que o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB ), candidato à reeleição, o provocou ‘primeiro’, quando deu uma entrevista ‘atacando todo mundo’. No programa eleitoral de terça-feira (20), França trouxe informações sobre delações e operações envolvendo o atual prefeito. Em sua convenção partidária, ele havia dito que faria uma campanha sem ataques.

Leia também:
Emanuel diz que vai ‘morrer atirando’ e inclui Antero no grupo dos ‘poderosos’ que estão contra ele

“Não mudei, o que eu falei nas convenções nós estamos provando. Quem me provocou primeiro foi ele, que deu entrevista acusando todo mundo. Eu disse que eu ia dançar conforme a música, né? E estou fazendo aquilo que eu prometi e aquilo que eu anunciei”, afirmou.

Segundo França, a decisão de fazer este programa eleitoral não tem ligação com as recentes pesquisas, que colocam Emanuel à sua frente em relação às intenções de voto. “Pelo contrário, a pesquisa nos favorece muito. Eu estar um pouco atrás do Emanuel Pinheiro, ele com toda a máquina, com toda a estrutura na mão, numa campanha milionária contra nós que estamos fazendo uma campanha simples e humilde, tendo pouca diferença, para nós é vitória”.

As falas foram feitas na chegada de França ao evento promovido pela Fecomércio na noite de terça-feira (20). O encontro foi realizado para que os candidatos falassem de suas propostas, principalmente em relação ao comércio e à economia da cidade de Cuiabá. Não houve perguntas entre os postulantes.

França ainda comentou a rejeição que recebeu nas recentes pesquisas, e avaliou como “absolutamente normal”. “A minha rejeição é quase metade da do Emanuel. A dele é de 55%, a minha é 30%. Então nesse aspecto eu levo uma vantagem muito grande sobre ele. O motivo da rejeição dele todo mundo sabe qual é, o fato da minha pega um pouco a questão do servidor público, e pega também o fato de eu ter disputado várias eleições”, justificou.

Em resposta às falas de Emanuel, que o colocou em um ‘grupo’ de pessoas que o estariam atacando por conta de suas ações sociais – como proibição no corte de água e do aumento da tarifa de ônibus – o ex-prefeito disse que ‘estranhou’, pois não tem nada a ver com isso, e que quando foi prefeito fez muito mais obras sociais da cidade.

França citou, por exemplo, taxa de autorga na licitação, ar condicionado e lugar reservado para cadeirantes nos ônibus, Siminina, Bom de Bola, Bom de Escola, padaria comunitária, centros de convivência para idosos, dentre outros projetos. “A campanha humanizada dele fez metade desse trabalho social que nós fizemos? Não fez. Investir no social é investir no ser humano. É investir na melhor qualidade de vida da população. Cada qual age da forma que interessa, cada administração busca investir em como acha melhor, mais conveniente. Eu respeito todas as posições, acho que todos os prefeitos que passaram por Cuiabá deram sua contribuição, como eu dei a minha. E espero, por ter feito tudo da minha vida pública em Cuiabá, se tiver mais um mandato, dar o meu agradecimento à cidade e retribuir com trabalho, com dedicação, agora muito mais experiente ainda”, finalizou.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet