Olhar Direto

Domingo, 24 de janeiro de 2021

Notícias / Política MT

João Batista diz que novas unidades de segurança extrema impedirão ‘intercâmbio de criminosos’

Da Redação - Isabela Mercuri

29 Nov 2020 - 09:01

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

João Batista diz que novas unidades de segurança extrema impedirão ‘intercâmbio de criminosos’
O deputado João Batista (PROS), policial penal de carreira, afirmou que as novas unidades de segurança extrema em presídios, que o governador Mauro Mendes (DEM) já anunciou que irá entregar, irão impedir o “intercâmbio de criminosos” que acontece atualmente, quando pessoas condenadas, muitas vezes faccionados, tem que ser levados para outros estados para cumprir sua pena.

Leia também:
Sob protesto, Mauro diz que investirá em tecnologia e que não criará cargos desnecessários

“Eu sou policial penal, trabalhei inclusive nessa unidade aqui por três anos, conheço a realidade de antes e o que tem mudado ultimamente. Se houver investimento financeiro, que é algo que a gente sempre lutou, eu acredito que possa ser possível, não com um custo tão baixo como às vezes falam”, disse o deputado.

A questão do baixo custo foi muito comentada na última sexta-feira (20) durante lançamento da ala 6 da Penitenciária Central do Estado de Mato Grosso. Segundo o parlamentar, é preciso levar em conta o custo, inclusive, da manutenção periódica.

João Batista elogiou o planejamento do governador. “Aqui nós temos o bloco que está sendo construído, que é a unidade de segurança extrema, é uma reivindicação nossa, como conhecedor do sistema penitenciário, para evitar que o estado fique mandando preso de facção criminosa para outros estados, onde eles fazem intercambio de criminosos lá e vem trazer aqui para o estado de Mato Grosso. Então é avanço, se tiver verdadeiramente esse investimento, eu acredito que possa ter, pode mudar muito a realidade do sistema penitenciário de Mato Grosso”, disse.

“Isso traz um certo procedimento de segurança que garante, além da segurança dos nossos servidores, também um pouco mais de contribuição para o próprio preso. Fazendo com que a gente, disciplinando eles, tenha a oportunidade de colocar eles para trabalhar depois de disciplinados”, completou.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet