Olhar Direto

Domingo, 17 de janeiro de 2021

Notícias / Política MT

Abílio Júnior afirma que não tem nenhum compromisso com Mauro Mendes

Da Redação - Isabela Mercuri / Do local - Max Aguiar

25 Nov 2020 - 14:30

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Abílio Júnior afirma que não tem nenhum compromisso com Mauro Mendes
O vereador e candidato à Prefeitura de Cuiabá Abílio Junior (PODE) afirmou, na noite da última terça-feira (24), que não tem nenhum compromisso com o governador Mauro Mendes (DEM). Segundo o candidato, a única reunião feita entre ele e Mendes foi na segunda-feira da semana passada, quando conversou sobre a participação do vereador Marcelo Bussiki (DEM) e do secretário de Estado de Saúde Gilberto Figueiredo em sua campanha. Gilberto, no entanto, não pôde também participar ativamente, apesar de ter declarado apoio e voto.

Leia também:
Após ataques à imprensa, Abílio pede desculpas: "as coisas estão muito pesadas"

“Não é que o governador está fora. O governador tem se envolvido nos trabalhos dele enquanto governador, eu agradeci a manifestação de voto. Ele falou que vai votar na gente, ele falou que a gente pode contar com o apoio dele, mas a gente deixou informado. A gente falou: governador, a gente está agora na reta final, o importante para nós, eu gostaria muito de ter o apoio da Virgínia Mendes, que poderia participar mais com a gente, porque ela não está tão envolvida na gestão do governo do Estado, já o governador está, e eu pedi também o apoio do Marcelo Bussiki, que foi o candidato a vice representando o governo”, afirmou Abílio.

“Com isso também eu pedi o apoio do Gilberto, mas o Gilberto está num momento especial na secretaria de saúde, e todas as preocupações desses casos que estão tendo aí, monitoramento da Covid, e aí a gente teve apoio consolidado do Marcelo Bussiki, e tive também o apoio da Virgínia Mendes. O Mauro Mendes em si está cuidando do governo do Estado. O Gilberto Figueiredo está cuidando da secretaria de saúde, a Virgínia está nos ajudando”, completou.

Abílio afirmou que as únicas pessoas envolvidas totalmente com a campanha, além dele e do candidato a vice-prefeito Felipe Wellaton (Cidadania) são a candidata derrotada no primeiro turno Gisela Simona (PROS) e o vereador Marcelo Bussiki (DEM). “O governador eu não converso, de ter relacionamento político ou próximo. É uma relação institucional. Sou candidato, ele queria conhecer o candidato, manifestar apoio de voto porque ele é contrário ao candidato atual prefeito, e foi isso. Não teve nenhuma articulação política, não teve nenhum relacionamento político em relação a isso”, declarou.

O candidato também fez questão de desmentir as informações de que ele já teria oferecido cargos na Prefeitura a pessoas como o Professor LAC, que deixou a candidatura a vice-prefeito na aliança com Aécio Rodrigues (PSL) para apoiar Abílio ainda no primeiro turno. “Não foi conversado com nenhuma das pessoas que estão nos apoiando sobre qual cargo ocupar ou o que fazer, ou como participará do governo ou deixará de participar. O LAC ele veio nos apoiar no primeiro turno ainda, e não teve negociação nenhuma, nem com o LAC, nem com o partido, nem com nada, sobre oferecer cargos ou alguma coisa assim. Isso inclusive deixamos claro”.

“Todas as conversas que a gente faz a gente deixa claro o máximo possível: não vamos dar cargos ou secretarias, ou qualquer coisa assim. Nós vamos escolher as pessoas que melhor podem contribuir com a Prefeitura de Cuiabá. Não relacionado ao apoio político delas nesse momento ou em outro momento”, completou o candidato.


 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet