Olhar Direto

Segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

Notícias / Política MT

Secretário de Educação diz que Lúdio quer ‘causar pânico’ na população: “tem que parar de espalhar fake news”

Da Redação - Isabela Mercuri / Do local - Max Aguiar

25 Nov 2020 - 16:50

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Secretário de Estado de Educação, Alan Porto

Secretário de Estado de Educação, Alan Porto

O secretário de Estado de Educação, Alan Porto, afirmou nesta quarta-feira (25), logo após audiência pública realizada na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, que o deputado estadual Lúdio Cabral (PT) está “preocupado em gerar pânico na sociedade” e “tem que parar de espalhar fake news”. Segundo o secretário, o parlamentar afirmou que a Seduc fecharia 300 escolas, mas, na realidade, serão 19 unidades ‘redimensionadas’ e ‘reordenadas’.

Leia também:
Lúdio diz que há demanda para aumentar CEJAs: '2 milhões em MT não concluíram a educação básica'

A presença de Alan na ALMT foi solicitada pelos parlamentares Lúdio Cabral e Professor Henrique Lopes, ambos do PT, para discutir o possível fechamento de unidades escolares. Até o momento, a Seduc não havia detalhado quais escolas entrariam no novo projeto, que eles classificam como reordenamento. Os deputados saíram insatisfeitos da audiência pública, e o secretário também não gostou do que ouviu.

“Esse trabalho não foi feito a poucas mãos, foi feito a várias mãos. Eu tenho comissão, tenho subcomissão, um processo seguro, então fazer o que o deputado Henrique quer aí, rasgar tudo e jogar na lata de lixo, isso nós não vamos fazer. Isso é desperdício de dinheiro público”, disparou, na saída da reunião.

Segundo o secretário, 19 escolas serão redimensionadas e reordenadas, sendo 13 em Várzea Grande, duas em Cuiabá (Newton Alfredo e Fenelon Alves), e as outras em cidades do interior. Estas unidades irão, de acordo com Alan, para o comando das Prefeituras. “O deputado Lúdio tem que parar de espalhar fake News, informação equivocada. Eu estive com o deputado Lúdio lá na Secretaria de Educação, demonstrei todas as informações para ele, então ele toma uma atitude leviana, irresponsável, parece que está preocupado em gerar pânico na sociedade. Nós queremos um trabalho transparente. Não existe esse negócio de fechar 300 escolas. O que nós estamos fazendo é um redimensionamento e reordenamento de 19 unidades”, afirmou.

Em relação à acusação dos parlamentares de que a medida, ao ‘unir’ alunos de diferentes unidades, provocaria a aglomeração de pessoas, Alan Porto rebateu: “Agora nós tivemos uma reunião, onde nem a Assembleia está respeitando o distanciamento, onde superlotou. Nem o deputado Lúdio, o deputado Henrique, não estão respeitando o distanciamento social, nós acabamos de ver isso aí. Em relação ao retorno das aulas, da volta às aulas, nós vamos trabalhar com sistema híbrido, não presencial e presencial. Não terá superlotação, nossa equipe fez todo o levantamento, em uma sala de aula onde cabe 35 alunos terão 15 alunos, e nós vamos garantir, vai ter recurso para as unidades escolares, para a gente cumprir todos os protocolos que exige o Ministério da Saúde, a saúde, a vigilância sanitária”.

Outra acusação dos parlamentares foi em relação aos professores temporários. Segundo Alan, já foram chamados 5.400 servidores que passaram no concurso, em dezembro serão convocados mais 342, e em 2021, mais 400 professores.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet