Olhar Direto

Segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

Notícias / Política MT

Sindicatos chamam Abílio de ‘anti-democrático’ e repudiam ataques à imprensa

Da Redação - Vinicius Mendes

25 Nov 2020 - 17:58

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Sindicatos chamam Abílio de ‘anti-democrático’ e repudiam ataques à imprensa
Um conjunto de 10 sindicatos se uniu e emitiu uma nota de repúdio ao vereador, e candidato a prefeito de Cuiabá, Abílio Júnior, em decorrência do tratamento que deu à imprensa durante o debate da noite desta terça-feira (24) promovido pela Fecomércio-MT. As entidades classificaram a postura de Abílio como “anti-democrática” e o definiram como pessoa de seu temperamento instável e imaturo emocionalmente.
 
Leia mais:
TJ mantém revogação de internação de adolescente que matou amiga no Alphaville
 
Na nota os sindicatos citam duas situações nas quais Abílio teria desrespeitado os profissionais da imprensa. Uma delas foi na live promovida pelo Grupo Gazeta, quando um jornalista o questiona sobre seu discurso anti-corrupção apesar de ter ao seu lado condenados e acusados por corrupção, como Roberto França, Abílio disse que “se soubesse que estaria sendo entrevistado por alguém que apoia o outro lado, não teria vindo para a entrevista”. Ele ainda se dirigiu ao jornalista dizendo para não votar em seu adversário, senão estaria sendo “cúmplice”.
 
Já a segunda situação foi no debate promovido pela Fecomércio na noite de ontem (24). Abílio foi questionado sobre os apoiadores para o segundo turno do referido candidato. O candidato então “sacou” de seu celular e começou a fazer uma “live” na tentativa de intimidar o profissional da imprensa, além de dizer a ele o que deveria perguntar.
 
Abílio também foi questionado pelo jornalista Max Aguiar, do Olhar Direto, sobre seus gastos de campanha, já que contratara marqueteiro renomado. O candidato então teria se exaltado e respondeu que não seria o site que trabalha o jornalista que estaria pagando, insinuando que o mesmo era “vendido”.
 
“As centrais sindicais e Sindicatos de Trabalhadores Públicos e Privados repudiam as falas grosseiras, anti-democráticas, difamatórias e criminosas do candidato Abilio Jr, conhecido por seu temperamento instável e imaturo emocionalmente. Respeitar o jornalismo e o jornalista, é dever de todos e, sobretudo, de quem se arvora a ser candidato. Pois só existe democracia onde há imprensa livre para perguntar e questionar o assunto que for. Cercear perguntas da imprensa é querer domesticá-la e assim, perder-se completamente o pilar que a sustenta, que é a imparcialidade”, disseram os sindicalistas.
 
Leia a nota na íntegra:
 
NOTA DE REPÚDIO AO CANDIDATO ABÍLIO JR. E EM SOLIDARIEDADE AOS JORNALISTAS ATACADOS E DIFAMADOS POR ESTE
 
As Centrais Sindicais e os Sindicatos abaixo relacionados assinam a presente NOTA DE REPÚDIO contra o candidato Abílio Júnior, e ao mesmo tempo externamos nosso total APOIO E SOLIDARIEDADE para com os jornalistas atacados e difamados pelo referido candidato.
 
Na semana que antecede o segundo turno das eleições para a prefeitura de Cuiabá, com os candidatos Abílio Jr e Emanuel Pinheiro, o candidato Abílio Jr., em DUAS OCASIÕES de entrevistas, desrespeitou e caluniou os Jornalistas que tentavam entrevistá-lo.
 
Na primeira ocasião, na em Live do site Gazeta Digital, do Grupo Gazeta, o candidato, ao ser perguntado pelo jornalista Khayo Ribeiro sobre o discurso anti-corrupção e a contradição de ter ao seu lado condenados e acusados por corrupção, como Roberto França e o Governador Mauro, este sem qualquer trava ou ponderação, atacou o jornalista dizendo que: “...se soubesse que estaria sendo entrevistado por alguém que apoia o outro lado, não teria vindo para a entrevista..”. Mesmo jovem, o jornalista demonstrou maturidade de jornalistas experientes e deixou a entrevista seguir, ao que foi novamente constrangido pelo candidato que pedia para ele não votar no seu adversário, pois este seria cumplice se o fizesse.
 
Na segunda ocasião, na data de ontem, ao chegar atrasado para o debate na Fecomércio MT, este foi questionado pelo Jornalista Pablo Rodrigo do jornal Gazeta Digital, sobre os apoiadores para o segundo turno do referido candidato. Irritado com a contradição apontada de forma inteligente pelo Jornalista, pois quem prega exaustivamente combate a corrupção se aliar a um condenado pela justiça federal a prisão por corrupção, e a outro que responde a vários processos também por improbidade, não seria o mais coerente da parte do candidato. Neste momento, “sacou” de seu celular e começou a fazer uma “live” na tentativa de IMTIMIDAR o jornalista e constrangê-lo diante do seu secto de seguidores de rede social. Tentou ainda “ensinar” o jornalista a fazer perguntas, dizendo a ele o que deveria perguntar (sic), como se fosse obrigação do jornalismo perguntar somente aquilo que agrada ao entrevistado, ledo engano!. Não parou por aí, alegou SEM PROVAS, o que configura crime de DIFAMAÇÃO, que o Grupo Gazeta haveria se “vendido” para o grupo do outro candidato.
 
Ainda teve tempo de agredir a moral de outro jornalista, Sr Max Aguiar, e o veículo de comunicação para o qual trabalha (site olhar direto), quando este questionou sobre seus gastos de campanha, já que contratara marqueteiro renomado e, que cobra caro, para o segundo turno. De forma destemperada e sem qualquer controle emocional, respondeu que não seria o site que trabalha o jornalista que estaria pagando, insinuando que o mesmo era “vendido”. Depois das confusões partiu para o debate enquanto a imprensa trabalhava na cobertura.
 
As centrais sindicais e Sindicatos de Trabalhadores Públicos e Privados REPUDIAM as falas grosseiras, anti-democráticas, difamatórias e criminosas do candidato Abilio Jr, conhecido por seu temperamento instável e imaturo emocionalmente.
 
Respeitar o jornalismo e o jornalista, é dever de todos e, sobretudo, de quem se arvora a ser candidato. Pois só existe democracia onde há imprensa livre para perguntar e questionar o assunto que for. Cercear perguntas da imprensa é querer domesticá-la e assim, perder-se completamente o pilar que a sustenta, que é a imparcialidade.
 
Repudiamos ainda o ataque rasteiro ao Grupo Gazeta de Comunicação, que tanto faz pelo jornalismo investigativo de Mato Grosso, bem como o ataque ao site “Olhar Direto”, conhecido pelo seu jornalismo sério, imparcial e antenado com os fatos mais importantes para a sociedade.
 
Prestamos pela presente NOTA, toda nossa SOLIDARIEDADE E APOIO aos jornalistas covardemente atacados e, nos pomos a disposição com nossos Advogados e estrutura sindical, caso entendam por bem interpelar judicialmente o candidato para que prove o que alegou sobre os jornalistas, vez que isso pode manchar a imagem de jornalistas sério como os que fizeram as entrevistas.
 
O Jornalista é um trabalhador como qualquer outro, embora com um papel relevante e fundamental para toda sociedade. Não se pode adotar a prática do ídolo do candidato, o mandatário do palácio do planalto, que agride verbalmente jornalistas quando confrontado com perguntas indigestas, mas de interesse público.
 
O bom jornalismo é pilar da democracia. O jornalista é o mesmo trabalhador que, como todos, vêm sendo massacrados em seus direitos mais básicos, de modo que, permitir o assédio moral de autoridades públicas como os casos em questão, nos obriga enquanto entidades de classe, de grau superior e de base, a nos insurgir e REPUDIAR, para que novos eventos como esses não se repitam.
 
Cuiabá, 25 de novembro de 2020
 
Entidades que assinam a presente nota:
1-Central dos Sindicatos Brasileiros Seccional MT/CSBMT
2-Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil/CTB
3-Central única dos Trabalhadores/CUT
4-Força Sindical/FS
5-Nova Central Sindical/NSC
6-Sindicato dos Profissionais da Área Meio do Poder Executivo/SINPAIGMT
7-Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Cuiabá/SISPUNC
8-Sindicato dos Agentes de Regulação e Fiscalização de Cuiabá/SINDARF
9-Sindicato dos Auditores Fiscais e Inspetores de Tributos de Cuiabá/SINAFIT
10-Sindicato dos Trabalhadores de Combate as Endemias de MT/SINTRACEMT
11-Executiva Regional do Centro Oeste da Federação Nacional dos Farmacêuticos/FENAFAR

Comentários no Facebook

Sitevip Internet