Olhar Direto

Quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

Notícias / Cidades

Polícia prende mais dois suspeitos de executar jornalista a tiros

Da Redação - José Lucas Salvani

27 Nov 2020 - 09:12

Foto: Reprodução

Polícia prende mais dois suspeitos de executar jornalista a tiros
A Polícia Judiciária Civil (PJC) prendeu mais dois suspeitos de estarem envolvidos na morte do jornalista Ediney Menezes, 44 anos, com três tiros na cabeça, na noite do último dia 16, na cidade de Peixoto de Azevedo (a 795 km de Cuiabá). A prisão aconteceu na tarde desta quinta-feira (26), após a dupla se apresentar na delegacia.

Leia mais:
Mãe e irmão confirmam participação do suspeito em assassinato de jornalista com três tiros na cabeça

A informação foi confirmada pela assessoria da PJC ao Olhar Direto. Os dois suspeitos já tinham mandado de prisão expedido quando se apresentaram na delegacia e foram ouvidos pelo delegado responsável pelo caso, Edmundo Félix de Barros Filho.

Na quinta-feira, a Polícia Civil apreendeu duas motocicletas utilizadas no dia do crime e também as roupas que os suspeitos estavam usando quando foram feitos os disparos contra o jornalista, que estava parado dentro do carro.
 
Um homem, que não teve a identidade divulgada, foi preso por suspeita de participar da execução. De acordo com a Polícia Civil, o mandado de prisão foi cumprido ainda na manhã de quinta-feira e não houve resistência por parte do acusado, que tem 23 anos.
 
A equipe de investigadores realizou outras diligências, sendo possível identificar três envolvidos no crime, que tiveram os mandados de prisão e busca e apreensão representados pelo delegado Edmundo Félix de Barros Filho.
 
As diligências estão em andamento para prender os outros dois suspeitos de envolvimento no crime. "Somente após a oitiva dos envolvidos será possível esclarecer a motivação do crime e se há outras pessoas ligadas ao fato", disse o delegado.
 
Ediney foi executado dentro de seu carro HB20, próximo à rua Itamar Dias, por dois suspeitos em uma motocicleta. Logo depois, eles fugiram.
 
Ediney estava trabalhando na campanha de reeleição do prefeito do município, Maurício Ferreira (PSD). Momentos antes de ser morto, ele havia comemorado a vitória do seu candidato.
 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet