Olhar Direto

Segunda-feira, 01 de março de 2021

Notícias / Política MT

Vuolo questiona Mauro ter mudado de opinião sobre o VLT: “tem alguma coisa errada nesse processo”

Da Redação - Isabela Mercuri

12 Jan 2021 - 09:15

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Vuolo questiona Mauro ter mudado de opinião sobre o VLT: “tem alguma coisa errada nesse processo”
O secretário de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico Francisco Vuolo se posicionou favorável ao Veículo Leve sobre Trilhos, questionou a falta de diálogo do governador Mauro Mendes (DEM) com os municípios, e principalmente a ‘mudança’ de opinião de Mendes, já que a decisão pelo VLT foi tomada quando ele ainda era prefeito da capital. “Tem alguma coisa errada nesse processo”, afirmou o secretário.

Leia também:
Medeiros pede CPI na Câmara Federal para investigar troca do VLT por BRT

“Eu sou até suspeito para falar entre o modal rodoviário e modal ferroviário. Feliz o país e as cidades que têm a oportunidade de ter alternativas de transporte, principalmente no aspecto da mobilidade urbana. Você proporcionar ao cidadão, que é a maior preocupação do prefeito, a condição de poder utilizar o sistema de transporte em condições ideais de funcionamento, como é o VLT, é sem dúvida dar um grande presente e dar um salto no desenvolvimento e crescimento da cidade”, afirmou o secretário, filho do ex-senador Vicente Emílio Vuolo, que lutou por muitos anos pela ferrovia. A entrevista foi realizada na Rádio Capital na manhã de segunda-feira (11).

O secretário afirma que o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) faz seu papel de gestor ao pedir por mais diálogo antes que seja tomada essa decisão. “As solicitações que o prefeito fez, primeiro, sua solicitação foi muito clara: já houve uma discussão técnica no passado e essa discussão técnica apontou para o VLT, com números, dados e informações como a melhor viabilidade, ponto. Houve a Copa do Mundo, nós tivemos todo o imbróglio, a obra avançou até aquela época, depois paralisou, o prefeito à época quem era? Ele anuiu o VLT, como gestor do município de Cuiabá ele autorizou o VLT na capital, então ele tomou essa posição. Ele, no meu ponto de vista, deveria ter requerido à época, e até muito estranho não ter os estudos técnicos que fizeram com que à época ele tivesse uma posição favorável ao VLT, porque no mínimo ele ficou quieto, quem cala consente, se ele não tomou nenhuma atitude ele consentiu”, afirmou.

Vuolo afirma que o grande problema em curso neste momento é o fato de a Prefeitura não ter tido acesso a nenhuma informação com base científica que ajude a ter um posicionamento correto, e que este seria o primeiro passo para, depois, haver discussões e se decidir pelo modal correto para a capital e para Várzea Grande. “Não podemos de maneira alguma decidir isso unilateralmente”, disse.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet