Olhar Direto

Notícias / Política MT

Com ‘2ª onda’ da Covid, Seduc repensa retorno dos alunos para a sala de aula e fará enquete

Da Redação - Airton Marques / Do Local - Max Aguiar

12 Jan 2021 - 11:36

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Com ‘2ª onda’ da Covid, Seduc repensa retorno dos alunos para a sala de aula e fará enquete
Com a taxa de ocupação de leitos de UTI ultrapassando 60% de ocupação por conta do crescimento dos casos da Covid-19, o secretário estadual de Educação, Alan Porto, anunciou que irá ampliar o debate sobre o retorno ou não dos alunos para as salas de aula. A secretaria pretende realizar até uma enquete com pais para definir entre o sistema híbrido ou remoto na rede estadual de ensino.

Leia também:
Em áudio, esposa de Hazama diz que primeira-dama precisa “se tratar” e pede para cortarem contato

“Tivemos reunião com o governador e o secretário de saúde, para entendermos os números, a chamada segunda onda. É uma situação preocupante. Estamos preocupados com o retorno às aulas e com a segurança dos nossos alunos e professores, decidimos que vamos ampliar esse diálogo com o Fórum Educacional, Sintep, Comissão de Saúde e de Educação da Assembleia, soltar uma enquete para ouvir os responsáveis dos alunos, ouvir professores e diretores. É uma decisão sensível, que mexe com mais de 380 mil famílias”, disse o secretário, logo após deixar a reunião no gabinete do governador Mauro Mendes (DEM), no Palácio Paiaguás, nesta terça-feira (12).

Segundo Alan, a decisão sobre a forma que as aulas serão ofertadas deve ser tomada até sexta-feira (15), mas mantém o retorno às aulas para 8 de fevereiro. Até essa segunda-feira (11), conforme o boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Mato Grosso registrou 191.106 casos e 4.694 óbitos. Em 24 horas, foram 1.747 infectados confirmados.

Antes do recuo, as escolas da rede estadual já se preparavam para retomar as atividades de forma segura. Diretorias das unidades de ensino providenciaram a compra de itens essenciais nesse momento de pandemia, como máscaras e álcool em gel, e foram orientadas sobre os cuidados a serem tomados para evitar a propagação da Covid-19.

Nas aulas ofertadas de forma híbrida, a cada dia, metade da turma vai assistir a aula presencial. Quando não estiver em sala de aula, o estudante terá tarefas e ensino direcionado.

Alan garante que as escolas estão preparadas para qualquer sistema. “Nossa rede está estruturada e estamos tendo formação de diretores e assessores para os dois cenários, o não presencial e o sistema híbrido. A gente tem que tomar as decisões olhando para os números”.

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, também afirmou que a questão será amplamente discutida. ""Temos experimentado um crescimento substancial do número de casos, já um aumento substancial também na taxa de ocupação das UTIs, então o Governo vê com preocupação esse retorno das aulas e a decisão foi que vamos ampliar essa discussão com comissão de saúde da Assembleia, comissão de Educação, com categoria dos profissionais da Educação, com os fóruns de debate sobre isso para a gente tomar uma decisão e o governo anuncia na sexta-feira a decisão tomada. Nós estamos preocupados com isso e decidimos ampliar essa discussão para ouvir também os outros segmentos. O governador também disse que vai abrir um canal de comunicação com a AMM, e com os municípios para também saber a opinião deles sobre o assunto", disse.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet