Olhar Direto

Quarta-feira, 03 de março de 2021

Notícias / Política MT

Vacinação contra a Covid-19 em Cuiabá poderá ser agendada via aplicativo

Da Redação - Max Aguiar

16 Jan 2021 - 09:51

Foto: Reprodução

Vacinação contra a Covid-19 em Cuiabá poderá ser agendada via aplicativo
A Secretaria Municipal de Saúde deve encaminhar na próxima semana à Câmara Municipal de Cuiabá o plano de imunização contra a Covid-19. A garantia foi dada em reunião entre a vereadora Edna Sampaio (PT) e a secretária da pasta da saúde, Ozenira Félix, nesta sexta-feira (15). 

Leia mais:
Obras de infraestrutura e desvio de água em propriedades podem estar por trás de desastre no Pantanal; veja

A vereadora questiona a quantidade de vacinas disponibilizada pelo governo federal e se haverá aquisição direta dos laboratórios, quais são os grupos prioritários, o período de vacinação, doses necessárias por grupo e a execução do plano pelas unidades de saúde do SUS, insumos existentes, mecanismos de gestão, controle social, monitoramento e avaliação, orçamento e entes responsáveis pelo custeio da campanha.

Ficou acordada a criação de um grupo de trabalho externo para fazer o controle social da implantação do plano.

A vacinação deverá iniciar pelos grupos prioritários, com agendamento feito via aplicativo. Em primeiro lugar serão vacinados os profissionais de saúde da linha de frente, seguidos dos idosos e dos portadores de comorbidades. 

Uma das preocupações é existência de quantidade suficientes de doses já que, somente em Cuiabá, o grupo prioritário reúne 125 mil pessoas. Nele estão 21, 4 mil profissionais de saúde; 8,4 mil habitantes com idade acima de 80 anos; 7,8 mil com idade entre 75 e 79 anos; 13 mil entre 70 e 74 anos; 19 mil entre 65 e 69 anos e 27 mil entre 60 e 64 anos. 

Também fazem parte do grupo 22 mil pessoas com deficiência, 5 mil profissionais de segurança e 1,5 mil trabalhadores do sistema penitenciário. 

Edna Sampaio salientou a falta de transparência na condução do assunto por parte dos gestores. “Há muita nebulosidade nas informações. O governo federal, infelizmente, não fala com seriedade com a população, não apresenta informações fidedignas”, disse ela. 

Desafio

Para a vereadora, o grande desafio é elaborar um plano de vacinação detalhado para que a população possa saber o que vai acontecer e, ao mesmo tempo, garantir que a vacina chegue ao Estado. “Do jeito que a coisa está, corremos o risco de terminar o ano e Cuiabá não ser vacinada. Precisamos nos organizar e mobilizar”, alertou.

Segundo a secretária, após a validação do prefeito, o planejamento será enviado aos vereadores, à Secretaria de Estado de Saúde e divulgado.  “Vamos precisar da Câmara, da Assembleia e da sociedade civil organizada porque é um processo para o qual ninguém está preparado. Estamos trabalhando com uma situação totalmente atípica, e os questionamentos trazidos pela vereadora vão enriquecer nosso trabalho”, disse ela. “O plano não é fechado, é para ser discutido com a sociedade e melhorado”.

“Essa reunião significou uma abertura para o diálogo porque está todo mundo meio perdido. Essa possibilidade de apresentação de um plano mínimo é a possibilidade de saber de onde a gente vai começar. Nosso papel é fazer o controle social e a secretária tem que tornar isso público”, disse o ativista Clóvis Arantes, membro do GT Saúde e Vacinação.

Espetacularização

Para a vereadora, ao que parece, o que irá se iniciar na próxima quarta-feira não é a vacinação, mas sim a “espetacularização” da vacina.  “Não vai ser dentro de um planejamento de vacinação. Vamos aplicar algumas doses para dizer que estamos vacinando, sem nenhuma perspectiva de que a população possa ser vacinada em sua totalidade”.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet