Olhar Direto

Domingo, 22 de maio de 2022

Notícias | Política MT

INEFICIÊNCIA NA PANDEMIA

Governador é contra demissão de Pazuello no Ministério da Saúde: “só gera desgaste político”

Foto: Reprodução

Governador é contra demissão de Pazuello no Ministério da Saúde: “só gera desgaste político”
Apesar de reclamar na demora na aquisição e distribuição de vacinas contra a Covid-19 aos estados e municípios, o governador Mauro Mendes (DEM) se mostrou totalmente contra a demissão do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, como tem pedido prefeitos e parlamentares.

Leia também:
Mauro reclama da lentidão na distribuição de vacinas e pede autorização para compra direta com laboratórios

“Nesse momento, precisamos de coisas que ajudem a resolver os problemas e não complicar ainda mais. Essa medida não resolve. Temos que ajudar o ministro. Uma troca nesse momento pode ser mais desastrosa, até o ‘cara’ entrar, entender, pegar o fio da meada, não é um bom negócio em minha opinião”, disse, durante entrevista à Rádio Jovem Pan, na manhã desta quarta-feira (17).

A pressão contra o ministro ganhou mais força nesta terça-feira (16), quando muitos prefeitos anunciaram a suspensão da vacinação, por falta de doses das vacinas. A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) chegou a emitir nota, reclamando da falta de diálogo e afirmando que o ministro não acreditou na vacinação como saída para a crise e não realizou o planejamento necessário para a aquisição. “Todas as iniciativas adotadas até aqui foram realizadas apenas como reação à pressão política e social, sem qualquer cronograma de distribuição para Estados e Municípios”.

O governador, no entanto, não crê que tal pressão seja atendida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). “A demissão de um ministro é prerrogativa do presidente. Pelo que conhecemos dele, creio que não fará isso por A, B ou C estar pedindo. Presidente não tem essa característica. Se isso não vai surtir efeito prático, só gera desgaste político”.

Mauro tem reunião marcada com Pazuello e outros governadores, na tarde de hoje. Por meio de videoconferência, o chefe do Palácio Paiaguás irá pedir autorização para negociar diretamente com os laboratórios a compra de novas doses das vacinas.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet