Olhar Direto

Quarta-feira, 16 de junho de 2021

Notícias | Cidades

INALOU FUMAÇA

Jovem morre após ser abandonada inconsciente em clínica de estética durante incêndio

Foto: Foto: Reprodução/Instagram

Jovem morre após ser abandonada inconsciente em clínica de estética durante incêndio
“Maquiadora, modelo, trans e virginiana”, era assim que Lorenna Muniz, de 25 anos, se descrevia no perfil de sua rede social. Na madrugada deste domingo (21), a jovem teve seus sonhos interrompidos após ser abandonada inconsciente em uma clínica durante um incêndio, em São Paulo. Moradora de Recife, em Pernambuco, Lorena também viveu parte de sua vida em Rondonópolis (219 km de Cuiabá), onde passou os últimos três meses do ano passado. 

Leia mais: 
Homem é detido após agredir e ameaçar ex-companheira na frente do filho

Segundo relato do comunicador Washington Barbosa, esposo de Lorena, a jovem estava sedada para iniciar um procedimento de colocação de silicone, quando o incêndio começou. Ainda no vídeo, publicado em uma rede social, o marido da vítima contou que ela inalou muita fumaça e ficou inconsciente antes de ser retirada do local. 

Após ser resgatada, a jovem foi levada para o Hospital das Clínicas, em São Paulo, mas não resistiu e acabou falecendo. O incêndio foi registrado na última quarta-feira (17), e desde então Lorena seguia internada em estado grave. 

O caso provocou um sentimento de revolta e tristeza, como revela Kelly Resende, representante do Grupo de Apoio a Travestis e Transsexuais de Rondonópolis (GATTRS) e conhecida de Lorena. “É revoltando. Ela era uma menina sonhadora, estava ralando pelo seu sonho. Tudo isso é muito triste, uma menina tão nova morrer dessa forma”, disse. 

Alegando negligência por parte da clínica onde Lorena iria fazer o procedimento, parlamentares de São Paulo, como a vereadora Erika Hilton (PSOL) e a deputada Estadual, Erica Malunguinho (PSOL), e organizações sociais iniciaram uma série de articulações para garantir a responsabilização da clínica pelo ocorrido. 

Em nota, a Associação Brasileira de Travestis e Transsexuais (Antra) reforçou que este não é um caso isolado. “Infelizmente, Lorena é mais uma vítima da opressão de gênero, da pressão estética cissexista e do descaso do estado nos cuidados da saúde específica da população trans. E este não é um caso isolado”, diz a nota.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet