Olhar Direto

Domingo, 09 de maio de 2021

Notícias | Cidades

TRABALHAM NO HUJM

Estudantes de medicina temem falta de segunda dose da vacina contra Covid-19; prazo acaba domingo

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Estudantes de medicina temem falta de segunda dose da vacina contra Covid-19; prazo acaba domingo
Apesar da injeção de esperança com a chegada da primeira dose da vacina contra a Covid-19, estudantes de medicina da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), que atuam no Hospital Universitário Júlio Müller, estão diante de um impasse: a falta da segunda dose. Com o prazo indicado para o reforço do imunizante se esgotando neste domingo (28), a preocupação é que a vacina aplicada perca a eficácia esperada. Diante da situação, a prefeitura de Cuiabá alegou que vem seguindo todas as determinações do Ministério da Saúde e do Governo do Estado quanto a aplicação e reserva de doses. 

Leia mais:
Cuiabá tem 38 leitos de UTI da Covid bloqueados por falta de medicamentos e profissionais

Atualmente são aproximadamente 120 estudantes da UFMT em fase de internato, momento dedicado ao aprendizado das práticas médicas. Segundo um desses estudantes, que preferiu não se identificar, muitos de seus colegas que tomaram a primeira dose seguem na incerteza se conseguirão tomar a segunda dose no tempo determinado. “Estamos preocupados. Caso nós não sejamos vacinados até o final de semana, a segunda dose não terá mais a mesma eficácia, seria dinheiro jogado fora e menos doses ainda para as próximas etapas”, disse o estudante. 

Ao tentar fazer o cadastramento os internos recebem uma mensagem que confirma o fechamento de novos cadastros por conta da falta de doses da vacina. “Nós alunos não sabemos a quem recorrer oficialmente, os e-mails de cadastro apenas informam que não há doses”, concluiu. 

Apesar dos relatos dos estudantes, a prefeitura de Cuiabá afirmou em nota que todas as doses de vacinas recebidas já vinham com a especificação sobre o grupo a ser vacinado e quais eram primeira ou segunda dose. No documento, a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Valéria de Oliveira, afirmou ainda que a prefeitura não se responsabiliza pela reserva de doses. 

“Nós realizamos a vacinação à medida que recebemos as doses do Estado. É importante que pessoas que ainda não receberam a segunda dose entendam que não é propositalmente. Tão logo a gente receba essas doses, faremos a imunização deste grupo”, disse. 

Em contato com a Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (SES-MT) foi confirmado que as orientações sobre aplicação das vacinas são dadas pelo Ministério da Saúde. No comunicado a Secretaria disse ainda que a nova remessa, recebida nesta quarta-feira (24), deve atender a primeira dose nos idosos com idade entre 80 e 89 anos e profissionais da saúde que ainda não foram vacinados.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet