Olhar Direto

Notícias / Cidades

SINFRA FOI NOTIFICADA

Obras na Jurumirim devem ser barradas por não apresentarem projeto de desvios; Sinfra nega interdição

Da Redação - Michael Esquer

25 Fev 2021 - 15:14

Foto: Davi Valle/Secom

Obras na Jurumirim devem ser barradas por não apresentarem projeto de desvios; Sinfra nega interdição
A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) foi contranotificada pela Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) para não iniciar as obras na Trincheira Jurumirim (Avenida Miguel Sutil). A negativa ocorre porque o projeto da Sinfra que chegou a Semob, na última quinta-feira (18), não apresenta rotas alternativas de desvio e nem sinalizações de via.

Leia também:
Prefeitura pede que obras na Jurumirim sejam em três turnos: “mais uma herança maldita da Secopa”

Para Antenor Figueiredo, secretário da Semob, a parte que falta no projeto é extremamente importante para que os trabalhos da Trincheira possam ser inciados. "A Sinfra já foi contranotificada para que não comece a obra antes da liberação da Semob. Ainda estamos aguardando o projeto de rotas de desvios e sinalizações que devem ser feitas pelo Governo do Estado, responsável pela obra. Não temos uma data.  Será um enorme gargalo no trânsito e por isso, deveremos achar soluções para que não ocorra tanto impacto", avisou.  

Além desta pendência, outro fator ainda pesa para o começo das obras: a aprovação pelo município de Cuiabá de todo planejamento da obra. Isso, porque a medida é regulamentada pelo Decreto nº 6.212, assinado pelo prefeito Emanuel Pinheiro em 2017 e ainda em vigor na Capital. Segundo esse decreto, todas as obras, serviços de engenharia e reparos programados nas intervenções destinadas à melhoria na mobilidade urbana e ligadas a Copa do Mundo, realizada em Cuiabá em 2014, devem ser previamente autorizadas pelo Poder Executivo Municipal.

A Trincheira deve ser interditada por um período estimado de sete meses para que seja corrigido um problema no sistema de drenagem de águas pluviais. A previsão é que, somente na parte inferior, deva ser retirado cerca de 1,5 metro de solo e substituído por outro de melhor qualidade.

Outro lado

A Sinfra emitiu uma nota:


A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) esclarece que já apresentou o plano de ação à Prefeitura de Cuiabá, com os serviços a serem executados, os prazos previstos, bem como as interdições a serem realizadas na trincheira Jurumirim, em Cuiabá, em razão da obra de recuperação que deverá ser executada no local.

Esse plano de ação foi apresentado na última semana e não incluiu nenhum projeto de rotas alternativas ou desvios, uma vez que o planejamento da execução de obras prevê a continuidade do trafego pelas pistas marginas, além de meia pista no interior da trincheira.  Apenas no período noturno, das 21h às 6h, é que está prevista a interdição total somente no interior da trincheira. 

Desse modo, não seriam necessários desvios, já que o trânsito pela Avenida Miguel Sutil continuará permitido, incluindo as rotatórias da Jurumirim e a de acesso à Avenida dos Trabalhadores, o que garante o tráfego no sentido centro-bairros.

No entanto, diante da informação do Município a respeito da incapacidade para elaborar um projeto com as rotas alternativas e para evitar qualquer tipo de embate junto à Prefeitura de Cuiabá, a Sinfra está providenciando esse projeto adicional  e vai apresentá-lo na próxima semana. 

Por fim, a Sinfra ressalta que, em razão de a Trincheira Jurumirim se tratar de uma obra executada para a Copa do Mundo de 2014, todos os licenciamentos devidos que autorizam a execução de serviços de engenharia já foram obtidos e continuam válidos, visto que a trincheira não foi concluída, embora liberada para o tráfego.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet