Olhar Direto

Terça-feira, 13 de abril de 2021

Notícias / Cidades

amigo é suspeito

Laudo deve apontar dinâmica da morte de estudante de 16 anos que levou tiro de espingarda no rosto

Da Redação - Fabiana Mendes

02 Mar 2021 - 10:50

Foto: Reprodução

Laudo deve apontar dinâmica da morte de estudante de 16 anos que levou tiro de espingarda no rosto
Laudo da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) irá apontar a dinâmica da morte do estudante do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), Gustavo Henrique da Silva Macedo, de 16 anos, que levou um tiro de espingarda no rosto, no Assentamento Santo Antônio da Fartura, zona rural de Campo Verde (140 km de Cuiabá), na noite do último sábado (20). O suspeito de matar o adolescente é um amigo de infância de 15 anos.

Leia mais:
Estudante do IFMT de 16 anos é morto por amigo de infância com tiro de espingarda no rosto

De acordo com a Politec, o perito responsável pelo caso recebeu da Polícia Civil a espingarda usada pelo adolescente no dia 25 de fevereiro e está realizando os exames.

O prazo mínimo para conclusão do laudo é de 10 dias, mas pode ser prorrogado e neste caso, por conta da complexidade, levara mais tempo para confecção.

O trabalho pericial será fundamental para esclarecer o que ocorreu no dia da morte de Gustavo, assim como no caso envolvendo Isabele Guimarães Ramos, de 14 anos, que morreu em decorrência de um tiro efetuado pela amiga que na época tinha a mesma idade, no condomínio de luxo Alphaville, em Cuiabá, em 12 de julho do ano passado.

Caso Gustavo

As informações preliminares da Polícia Militar, que chegou primeiro no assentamento, são de que uma equipe foi acionada para atender a ocorrência de um homicídio.

Quando os militares chegaram ao local, várias pessoas saíram das proximidades e outras permaneceram. Porém, ninguém soube informar o que de fato teria ocorrido. Além disso, o adolescente suspeito teria fugido do local.

O caso então passou a ser apurado pela Polícia Civil e na segunda-feira (22), o adolescente suspeito se entregou na Delegacia de Campo Verde. Na ocasião, alegou um disparo acidental quando limpava a arma.

No sábado (27), familiares e amigos cobraram esclarecimentos quanto a morte de Gustavo e punição de todos os envolvidos. O grupo de pessoas saiu pelas ruas da cidade pedindo “justiça por Gustavo”.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet