Olhar Direto

Quarta-feira, 21 de abril de 2021

Notícias / Política MT

ORDEM DO TJ

Mauro diz que Emanuel deveria focar na atenção básica ao invés de gastar energia contra decreto

Da Redação - Airton Marques / Do Local - Max Aguiar

03 Mar 2021 - 17:14

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Mauro diz que Emanuel deveria focar na atenção básica ao invés de gastar energia contra decreto
O governador Mauro Mendes (DEM) comemorou a decisão do desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça (TJMT), que obriga a Prefeitura de Cuiabá obedecer a critérios sanitários contidos em decreto estadual. Sobre a possibilidade de o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) recorrer da liminar, o democrata afirmou que o rival deveria se preocupar com outros problemas do Palácio Alencastro.

Leia também:
Prefeitura afirma que Estado induziu Justiça de forma leviana e politiqueira; 80 leitos de UTI abertos

“Lá no ano passado, quando as UTIs estavam vazias, o prefeito fez lockdown total em Cuiabá. Tem lógica? Isso é uma irresponsabilidade. Agora, quando está com as UTIs lotadas, ele vem querer flexibilizar. Acho que ele deveria, ao invés de gastar energia com isso, fazer a atenção básica do município funcionar. O Centro de Triagem na Arena Pantanal está lotado, pois a atenção básica não funciona”, disse, em conversa com a imprensa, na saída do Tribunal de Contas (TCE-MT), nesta quarta-feira (3).

Ao questionar a atuação de Emanuel na pandemia, Mauro citou eventual falta de medicamentos e a não abertura de novos leitos de UTI para o atendimento de pacientes com Covid-19. “Tivemos que entrar na Justiça semana passada para fazer funcionar os leitos e a Justiça determinou que ele colocasse e daí colocou. Tudo isso é muito lamentável e a gente vai continuar trabalhando com seriedade. Pois é assim que se resolve, não com conversa fiada e irresponsabilidade”.

Em relação à decisão judicial de semana passada, Mauro se refere a ordem de desbloqueio de 33 leitos de UTI na Capital. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o bloqueio foi necessário por conta da falta de medicamentos e de cirurgiões pediátricos. As questões, no entanto, foram resolvidas antes mesmo da ordem.

Por fim, o governador declarou não ter dúvidas de que a Justiça estadual iria determinar que Emanuel cumprisse as medidas estaduais, desconsiderando o decreto municipal publicado nesta terça-feira (2). “Não tínhamos dúvidas disso, pois conhecemos a legislação brasileira, sobre o que fala em relação à segurança, saúde e vigilância sanitária, que medidas mais restritivas prevalecem sobre outras de natureza mais leve”.

Com a decisão de Perri, o toque de recolher na Capital deve começar a partir das 21h até às 5h. Além disso, o despacho estabelece que somente está autorizado o funcionamento do comércio no período compreendido entre as 5h e 19h. Aos sábados e domingos, autorizado o funcionamento somente no período compreendido entre as 05h e 12h.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet