Olhar Direto

Quinta-feira, 06 de maio de 2021

Notícias | Cidades

Ameaçou explodir bomba

Soldado que fez refém em aeroporto pertence a batalhão ambiental e viajava para ver família; vídeos

Foto: Reprodução

Soldado que fez refém em aeroporto pertence a batalhão ambiental e viajava para ver família;  vídeos
O soldado da Polícia Militar que fez uma funcionária da Gol Linhas Aéreas como refém, na noite do último domingo (11), no Aeroporto de Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo, pertence ao Batalhão Ambiental do Paraná. O motivo do surto ainda não foi explicado. O acusado, que chegou a dizer que estava com uma bomba na mochila, viajava para ver familiares na Bahia. A cena foi gravada por passageiros de um voo para Cuiabá, que estavam em uma fila próxima, se preparando para embarcar.

Leia mais:
Passageiros de Cuiabá gravam momento em que PM faz funcionária refém em aeroporto; vídeos

De acordo com a concessionária que administra o aeroporto, seguranças foram acionados para controlar um passageiro. O homem usava uma caneta e fez uma funcionária da Gol refém em um dos portões de embarque do Terminal 2.

O caso aconteceu por volta das 21h, quando várias filas se formavam para que passageiros pudessem ir até seus destinos. O ponto do ataque do suposto PM era próximo de um portão de embarque que estavam passando passageiros que iam para Maceió e também da fila com passageiros que seguiam para Cuiabá.

Alguns cuiabanos que estavam na fila, viram a situação e filmaram. O PM estava armado com uma caneta, com a máscara baixa e exigia a Polícia Federal no local, que chegou posteriormente e, após negociação, conseguiu a rendição do homem.

Os cuiabanos aguardavam um voo da Latam, que partiu sem atraso significativo e  chegou em Cuiabá nas primeiras horas desta segunda-feira (12). 

O soldado foi preso pela Polícia Federal e encaminhado para a delegacia. Antes de se render, ele foi convencido - através de uma chamada de vídeo - por seu comandante a se entregar.

Em nota, o Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde da Polícia Militar do Paraná pontuou que não há registros funcionais anteriores de problemas envolvendo o soldado, "o qual sempre foi considerado um excelente policial tanto por seu Comandante imediato, quanto por seus companheiros de serviço".

O policial tem 36 anos, é solteiro, trabalha na Polícia Ambiental, está na corporação há sete anos e sua família está na Bahia, para onde ele deslocava na noite deste domingo.

"Após a informação do caso, o Comando do Batalhão Ambiental determinou o deslocamento de uma equipe da unidade à São Paulo, nesta segunda-feira (12/04) para acompanhar a situação do policial, adotar medidas necessárias e tratar com a família dele sobre o que for preciso", diz trecho da nota.

Segundo a concessionária responsável pelo aeroporto, a situação foi resolvida em questão de minutos pela Polícia Federal, não impactando nas atividades de operação do terminal. Como já havia sido adiantado pelo Olhar Direto, apenas o voo para Maceió sofreu atraso significativo.

"O passageiro foi encaminhado para delegacia e as causas da ocorrência estão sendo apuradas pelas autoridades competentes", diz trecho da nota da GRU Airport.

A Gol Linhas Aéreas informou que está dando todo o suporte necessário à colaboradora, que não sofreu quaisquer ferimentos e encontra-se bem. "A ocorrência ficou restrita à sala de embarque do aeroporto e o envolvido no caso não era passageiro da GOL em nenhum dos seus trechos de origem ou destino".







Confira as notas abaixo:

Nota Aeroporto de Guarulhos:

A GRU Airport, concessionária que administra o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, informa que na noite de 11 de abril os órgãos responsáveis pela segurança do Aeroporto foram acionados para controlar um passageiro que, utilizando uma caneta, fez uma tripulante como refém em um dos portões de embarque do terminal 2. A ocorrência foi controlada em poucos minutos pela Polícia Federal, em total segurança e não houve feridos. O incidente não impactou as atividades e as operações do aeroporto. O passageiro foi encaminhado para delegacia e as causas da ocorrência estão sendo apuradas pelas autoridades competentes.

Nota GOL:

A GOL está ciente do ocorrido no Aeroporto Internacional de São Paulo (GRU Airport) hoje e informa que está dando todo o suporte necessário à colaboradora, que não sofreu quaisquer ferimentos e encontra-se bem. A Polícia Federal está no comando das investigações e a Companhia está à disposição para prestar todo o suporte necessário. A ocorrência ficou restrita à sala de embarque do aeroporto e o envolvido no caso não era passageiro da GOL em nenhum dos seus trechos de origem ou destino.

Nota do Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde da Polícia Militar do Paraná:

Sobre a situação envolvendo um policial militar do Paraná no final deste domingo (11/04) no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, o Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde esclarece que:

Não há registros funcionais anteriores de problemas envolvendo o policial militar em questão, o qual sempre foi considerado um excelente policial tanto por seu Comandante imediato, quanto por seus companheiros de serviço. O policial tem 36 anos, é solteiro, trabalha na Polícia Ambiental, está na corporação há sete anos e sua família está na Bahia, para onde ele deslocava na noite deste domingo.

A Polícia Militar do Paraná está fazendo acompanhamento do policial e do caso, e durante seu ato no aeroporto, o policial falou com o comandante imediato, por vídeo-chamada, o qual conseguiu demove-lo da ação. Após isso, a funcionária da Companhia Aérea foi liberada sem ferimentos, e ele foi conduzido pela Polícia Federal para procedimentos necessários.

Após a informação do caso, o Comando do Batalhão Ambiental determinou o deslocamento de uma equipe da unidade à São Paulo, nesta segunda-feira (12/04) para acompanhar a situação do policial, adotar medidas necessárias e tratar com a família dele sobre o que for preciso.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet