Olhar Direto

Domingo, 09 de maio de 2021

Notícias | Política MT

ENSINAR A PESCAR

“Política pública de entregar cesta básica é ridículo”, critica Avalone ao citar ações do governo

17 Abr 2021 - 16:41

Da Redação - Isabela Mercuri / Da reportagem local - Max Aguiar

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

“Política pública de entregar cesta básica é ridículo”, critica Avalone ao citar ações do governo
O deputado estadual Carlos Avalone (PSDB) criticou as políticas públicas do Estado serem apenas de doação de cestas básicas. Segundo ele, é necessário que se faça qualificação das pessoas para diminuir o desemprego, e, seguindo o ditado popular, que se “ensine a pescar” ao invés de dar o peixe. O parlamentar, no entanto, reconheceu a importância das doações no momento de pandemia.

Leia também:
Mendes comemora redução de internações e queda na busca pelo Centro de Triagem
 
A fala de Avalone veio ao encontro de uma crítica do deputado Wilson Santos (PSDB), que reclamou da falta de auxílio por parte dos ‘barões’ do agronegócio. “Talvez as 350 mil pessoas que estão vivendo abaixo da linha da pobreza não são responsabilidade só disso, mas são responsabilidade de falta de política pública para isso. Porque política pública entregar cesta básica é ridículo. Isso não é política pública. Todos nós conhecemos a história de que a gente tem que ensinar o cara a pescar, e não dar o peixe para ele. E nós estamos vivendo em Mato Grosso há algum tempo com políticas públicas de dar o peixe”, disparou Avalone.
 
Para o deputado, há muito tempo o Estado não investe em políticas públicas importantes de qualificação. Ele sugeriu que o governo, inclusive, teria recursos para tal, e poderia mudar as prioridades. “Não adianta fazer só ponte, só estrada. Tem projeto de educação bonito que está sendo proposto, mais na área de infraestrutura da educação. Mas nós temos que ter políticas públicas de geração de emprego, qualificação. Cadê as qualificações nas periferias de Cuiabá, de Várzea Grande?”, questionou.
 
O parlamentar sugeriu que seja feita uma análise dos dados da população, por meio do IBGE, para que seja verificado onde há falha e, então, sejam tomadas atitudes. “Nós precisamos ter esse tipo de trabalho, ter esse tipo de discussão. As coisas não acontecem com naturalidade, precisa ter política pública, tem que ter consistência pela política pública. (...) Você tem que identificar o problema, analisar pelos dados. Isso não existe, é uma política geral, é uma política tal... fiz uma licitação de 500 cestas básicas. Ok, na época da pandemia é correto, tem gente passando fome, vamos dar, a Assembleia vai fazer também (...), mas isso é pontual”, completou o tucano.
 
“Ninguém pode viver dando cesta básica para ninguém. Você tem que viver dando oportunidade de trabalho. O pai de família não quer receber uma cesta básica, ele quer sair de casa, trabalhar, voltar no outro dia e comprar a comida dele. Então isso que temos que entender. E a gente faz tempo que não tem isso no estado. Nós temos que qualificar as pessoas, ter projeto de qualificação por bairro, por região”, finalizou o deputado.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet