Olhar Direto

Segunda-feira, 21 de junho de 2021

Notícias | Ciência & Saúde

​EM ATRASO

Em Mato Grosso mais de 17 mil pessoas estão com segunda dose da CoronaVac atrasada

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Em Mato Grosso mais de 17 mil pessoas estão com segunda dose da CoronaVac atrasada
O Ministério da Saúde divulgou na última terça-feira (13) a lista dos estados com pessoas que estão em atraso para tomar a segunda dose de vacinas contra a Covid-19. De acordo com a tabela, em Mato Grosso existem 17.054 pessoas que estão com a aplicação da segunda dose pendente.

Leia mais:
Mortes por Covid-19 representam 56% dos óbitos por doenças em Mato Grosso

A tabela mostra o número de pessoas que estão atrasadas para a segunda dose da vacina Coronavac (Butantan) e da Astrazeneca (Fiocruz). Em Mato Grosso foram aplicadas apenas dose da CoronaVac. Conforme o Ministério da Saúde, 17.054 pessoas estão em atraso para tomar a segunda dose no Estado. Em Cuiabá, a Secretaria Municipal de Saúde afirmou que as pessoas com doses atrasadas podem comparecer aos polos de vacinação para concluir a imunização.



O ministro Marcelo Queiroga disse que há 1,5 milhão de brasileiros nessa situação, e alertou que essas pessoas precisam buscar os postos de vacinação. De acordo com a tabela divulgada pela Agência Brasil, o estado com mais pessoas em atraso é São Paulo (343.925), seguido da Bahia (148.877), Rio de Janeiro (143.015), Rio Grande do Sul (123.514), Minas Gerais (89.122) e Paraná (71.857).

Os estados com menos doses em atraso são Amapá (5.741), Tocantins (6.033), Acre (6.191), Alagoas (7.625) e Roraima (8.555). Segundo o ministro, mesmo quem perdeu o prazo previsto no cronograma de vacinação deve procurar uma unidade de saúde para regularizar a situação.

A grande maioria dos atrasos está em doses da vacina CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. No total, 1.514.340 doses do imunizante estão em atraso, sendo 287 da Oxford/AstraZeneca, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Comentários no Facebook