Olhar Direto

Terça-feira, 22 de junho de 2021

Notícias | Política MT

REPRESENTANDO O CREA

Samaniego vota contra troca do VLT: “modal pode ser melhor, mas deveria haver um debate mais amplo”

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Samaniego vota contra troca do VLT: “modal pode ser melhor, mas deveria haver um debate mais amplo”
Membro do Conselho Deliberativo Metropolitano do Vale do Rio Cuiabá (Codem), o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-MT), Juares Samaniego, seguiu o posicionamento da Prefeitura de Cuiabá, onde é secretário de Mobilidade Urbana (Semob), e votou contra a troca do VLT pelo BRT. A votação foi realizada na manhã desta quarta-feira (12) e terminou com 13 votos favoráveis, 4 contrários e duas ausências.

Leia também:
Kalil diz que VG participou de audiência pública do BRT, mas pessoalmente defende o VLT

Apesar de deixar claro ter votado como presidente do Crea, Samaniego reforçou a tese defendida pela prefeitura, de que é necessário mais debate sobre o tema antes de qualquer decisão.

“Não houve discussão técnica, não tem projeto executivo do BRT e no início da apresentação do técnico da Sinfra ele apresenta que em 2010, quando o projeto ainda era BRT, custaria R$ 454 milhões para fazer o modal, se passaram quase onze anos, ele vem com uma planilha de R$ 430 milhões. Quer dizer que nesses anos não teve inflação? Então, não tem consistência do preço apresentado” afirmou, ao deixar a reunião no Palácio Paiaguás.

Samaniego afirma que as explicações do estado não são convincentes e por isso votou contra a mudança. “O modal pode ser melhor, mas deveria haver um debate mais amplo e técnico. Isso eu já venho cobrando. Infelizmente meu voto foi proferido contra, mas não contrário ao modal e sim a não discussão da troca do modal com a sociedade civil organizada e com o maior interessado, que é a Prefeitura de Cuiabá”.

Além de presidente do Crea-MT e secretário municipal, Samaniego também comanda o Comitê de Análise Técnica para Definição do Modal de Transporte Público da Região Metropolitana do Vale do Rio Cuiabá.

Codem

O conselho reúne representantes dos poderes Executivos, Legislativo e entidades civis dos municípios de Cuiabá, Várzea Grande, Chapada dos Guimarães, Acorizal, Santo Antônio de Leverger e Nossa Senhora do Livramento, que compõem a região metropolitana, e toda a reunião foi transmitida pelo YouTube do Governo de Mato Grosso.

De acordo com o governador Mauro Mendes (DEM), colocar em deliberação do conselho um assunto de relevância, que é a solução de mobilidade urbana para as cidades de Cuiabá e Várzea Grande, demonstra claramente a intenção do Governo de Mato Grosso de esclarecer as nuances da decisão pela implantação do BRT. Isto porque, o conselho tem a função principal de apresentar e discutir soluções para o futuro da Região Metropolitana, por meio da integração de planos, políticas e ações dos municípios. E, como a solução de mobilidade abrange as cidades de Cuiabá e Várzea Grande, era de fundamental importância a anuência do órgão na decisão a favor do BRT.

"A escolha pelo BRT foi antes de tudo técnica, embasada por estudos que apontaram diversas vantagens, como maior economia para sua implantação e viabilidade de projeto. Além disso, a mudança desse modal corrige um erro histórico, porque é do conhecimento de todos que o VLT foi escolhido em cima de corrupção. Acredito que o Codem traz uma contribuição relevante no contexto do aglomerado urbano da Baixada Cuiabana, e poderá nos auxiliar com diretrizes de políticas públicas que nós poderemos vir a implementar”, disse o governador.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet