Olhar Direto

Segunda-feira, 26 de julho de 2021

Notícias | Cidades

IMUNIZAÇÃO LENTA

Sindicato pede vacinação prioritária dos trabalhadores dos Correios em Mato Grosso

Foto: Reprodução

Sindicato pede vacinação prioritária dos trabalhadores dos Correios em Mato Grosso
O Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Mato Grosso (Sintect-MT) enviou nesta quarta-feira (9) um ofício endereçado ao Governo do Estado exigindo a vacinação prioritária dos servidores da instituição. No documento, a organização alegou que aproximadamente 290 trabalhadores se infectaram com o coronavírus em ambiente de trabalho. Para o Sintect-MT a inserção como prioridade deve ser tratada agora como uma questão de saúde pública. 

Leia mais: 
Governo Bolsonaro confirma envio de doses extras de vacina a Cuiabá em contrapartida à realização da Copa América

Até o momento, o sindicato estima um número de 700 a 800 trabalhadores que ainda não foram vacinados por não apresentarem nenhum tipo de comorbidade. Segundo o presidente do Sintec-MT, Edmar Leite, os dados sobre a quantidade de trabalhadores infectados pode ser ainda maior, já que para o sindicalista existe uma subnotificação proposital. “A ECT, desde o início da pandemia, esconde os números oficiais de infectados e mortos em decorrência dessa doença. No país inteiro esse número passa de 450 pais e mães de família que morreram vítimas da doença”, afirmou. 

Ainda no documento a organização apontou uma falta de medidas que possam garantir a  biossegurança dos trabalhadores. Tais condições de trabalho seriam um dos motivos para que a vacinação prioritária da classe aconteça. “O problema tornou-se uma questão de saúde pública, uma vez que os Correios passam a ser vetores de proliferação da doença, pois um só carteiro visita diariamente centenas de residências”, afirmou o Sintect-MT. 

Com o avanço da pandemia em diversas partes do estado, a organização revelou ainda o temor de que outros profissionais continuem se infectando e tendo duas vidas ceifadas. “Temos notícia de pelo menos mais dois trabalhadores ecetistas que estão na UTI, intubados, lutando pela vida. Além disso, a esposa de um companheiro, carteiro do interior do estado, perdeu a vida após o mesmo contrair a Covid-19 e levá-la dentro de casa. A esposa de um outro companheiro, carteiro em uma cidade da baixada cuiabana, também está na UTI neste momento”, diz um trecho da Carta-Ofício.

Apesar de atuar como serviço essencial, a categoria não foi inserida como prioridade no Plano Nacional de Imunização (PNI). Até o momento também não há uma resposta oficial por parte do Governo de Mato Grosso quanto a demanda do sindicato.
 
Pandemia segue em alta

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta terça-feira (08), 419.855 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 11.252 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado. Apenas nas últimas 24 horas foram registradas 43 mortes pela doença, entre elas a de um homem de 32 anos de Marcelândia.

Conforme o boletim, foram notificadas 1.895 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 419.855 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 12.290 estão em isolamento domiciliar e 394.515 estão recuperados. Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 425 internações em UTIs públicas e 408 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 79,44% para UTIs adulto e em 47% para enfermarias adulto.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet