Olhar Direto

Domingo, 24 de outubro de 2021

Notícias | Política MT

Visita o estado

Ministro recebe pedido para priorizar imunização na fronteira e de bloqueio sanitário urgente em MT por risco de cepa andina

Foto: Reprodução/Ilustração

Ministro recebe pedido para priorizar imunização na fronteira e de bloqueio sanitário urgente em MT por risco de cepa andina
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, recebeu um pedido para a  implantação emergencial de bloqueio sanitário na fronteira do Estado para evitar a entrada de uma cepa andina do novo coronavírus. A medida, que será discutida nesta sexta-feira (09), durante visita do chefe da Pasta a Mato Grosso, consiste também na  imunização da população que habita a extensão de fronteira com a Bolívia. 

Leia mais:
Defensoria recomenda que Cuiabá siga ordem etária decrescente na vacinação

O pedido partiu do  senador Wellington Fagundes (PL-MT), relator da Comissão da Covid-19. Ele alertou, durante sessão no Senado Federal, sobre os riscos da nova cepa do vírus e informou que pedirá ao ministro Queiroga a inclusão dos municípios instalados na zona de fronteira como prioridade do Programa Nacional de Imunização.

A medida inclui também a fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai. A intenção é o uso de vacinas da Janssen, em dose única.

Ao todo, Mato Grosso tem 720 quilômetros de fronteira seca. O estado está entre os três estados com menos de 10% de sua população imunizada com as duas doses ou dose única de vacinas contra a Covid-19.

Ao todo, 28 municípios de Mato Grosso estão incluídos na classificação de faixa de fronteira. Entre eles estão Vila Bela da Santíssima Trindade, Cáceres, Poconé, Araputanga, Barão de Melgaço, Barra do Bugres, Lambari d’Oeste, Pontes e Lacerda, Rio Branco, Salto do Céu, São José dos Quatro Marcos, Vale do São Domingos e Tangará da Serra. 

Além disso, uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional dos Municípios mostra que a possibilidade de os brasileiros moradores das localidades de faixa de fronteira se vacinarem em países vizinhos é menos da metade da chance que estrangeiros têm de receber a imunização contra a Covid-19 no Brasil. Portanto, o risco acaba sendo todo para o lado brasileiro.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet