Olhar Direto

Quinta-feira, 09 de dezembro de 2021

Notícias | Cidades

Vacinação em massa

Cuiabá fica de fora e só 28 municípios de MT receberão doses extras da AstraZeneca; veja quais e quantas

Foto: Secom

Cuiabá fica de fora e só 28 municípios de MT receberão doses extras da AstraZeneca;  veja quais e quantas
Das mais de 177 mil doses encaminhadas pelo Ministério da Saúde para Mato Grosso, pouco mais de 104 mil são extras e exclusivas para distribuição entre 28 municípios de fronteira. Cuiabá, que havia pleiteado como forma de compensação pela realização da Copa América na cidade, ficou de fora e receberá somente o preconizado pelo PNI. Na quarta-feira (14), Emanuel Pinheiro (MDB) chegou a exigir que o mesmo tratamento dado ao Maranhão aconteça também na 'Cidade Verde', que teve identificada uma cepa colombiana, até então inédita no país.

Leia mais:
Emanuel cita exemplo do Maranhão e exige doses extras após identificação de cepa colombiana em Cuiabá

Os 28 municípios são: Barão de Melgaço (1.574), Tangará da Serra (21.084), Nossa Senhora do Livramento (2.328), Poconé (6.113), Araputanga (3.308), Cáceres (17.776), Curvelândia (969), Glória d’Oeste (563), Indiavaí (521), Lambari d’Oeste (1.223), Mirassol d’Oeste (5.502), Porto Esperidião (2.337), Reserva do Cabaçal (519), Rio Branco (1.004), Salto do Céu (639), São José dos Quatro Marcos (3.604), Campos de Júlio (1.409), Comodoro (3.947), Conquista d’Oeste (824), Figueirópolis d’Oeste (660), Jauru (1.571), Nova Lacerda (1.310), Pontes e Lacerda (8.870), Vale do São Domingos (612), Vila Bela da Santíssima Trindade (3.022), Porto Estrela (525), Sapezal (5.372) e Barra do Bugres (7.015)*.

*Entre parênteses estão as doses extras enviadas exclusivamente para os municípios por serem de região de fronteira.

Cáceres, uma das principais cidades de fronteira, irá receber 17.776 doses extras e mais 430 que já estavam programadas para serem enviadas pelo Plano Nacional de Imunizaçao (PNI), totalizando 18.210 mil doses para serem usadas na população acima de 18 anos.

Tangará da Serra também aparece como destaque na distribuição destas doses extras. A cidade terá direito a 21.084 doses extras, que são exclusivas para os municípios de fronteira e outras 485 já preconizadas pelo PNI, totalizando 21.570.

Nesta leva de mais de 177 mil doses também foram incluídas algumas que já viriam para Mato Grosso através do Plano Nacional de Imunização. Cuiabá, por exemplo, receberá 14.925 deste montante. Porém, vale ressaltar, que estas fazem parte das unidades extras, que são exclusivas dos 28 municipios supracitados.

Toda a discriminição, com as quantidades para todos os municípios pode ser vista AQUI.

Metade das doses desembarcou nesta madrugada em Cuiabá e, após os trâmites de praxe, serão enviadas a estes municípios. 

"Já vamos fazer a dispensação para que 104 mil doses que chegam amanhã, suficiente para imunizar 54% de toda essa população. Na próxima remeça completamos todo o lote. Esses 28 municípios tem uma nova tarefa, pois são muitas doses para colocar no braço da população”, pontuou o secretário de Saúde do Estado, Gilberto Figueiredo, na quinta-feira (15).

O governador Mauro Mendes (DEM) reforçou a esperança de que até final de setembro toda a população de Mato Grosso esteja vacinada com pelo menos uma dose. Explica que as doses extras também beneficiam outros municípios distantes da fronteira, já que os próximos lotes serão destinados a outras regiões.

Para a vacina Astrazeneca, o prazo de aplicação da segunda dose é de até 90 dias.

Foi pactuado a distribuição de um remanescente de 290 doses da Astrazeneca que estavam armazenadas na Rede de Frio Estadual como estoque estratégico.

Caso os municípios alcancem a completa vacinação dos públicos-alvo estabelecidos para a imunização, a CIB orienta a continuidade da imunização dos demais públicos elencados pelo Ministério da Saúde.

Emanuel

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), voltou a exigir do Ministério da Saúde o envio de doses extras de vacinas contra a Covid-19. Conforme o emedebista, com a identificação da cepa colombiana em dois integrantes das delegações de Equador e Colômbia, que estiveram na cidade por conta da Copa América, a capital mato-grossense se enquadra na mesma questão vivida no Maranhão, quando – em maio – foram encaminhadas 300 mil unidades extras por conta de uma variante.

Para Emanuel, as taxas ainda altas da pandemia e o risco de um agravamento da situação epidemiológica por conta da nova cepa detectada entre os colombianos que estiveram em Cuiabá, são motivos suficientes para que a capital de Mato Grosso receba uma atenção maior por parte do governo federal, que é quem adquire e distribui as vacinas contra a covid-19, método mais eficaz no combate à pandemia.

Pinheiro também defende que o requerimento de doses extras de vacina deve ser acatado pelo Ministério da Saúde, uma vez que em maio deste ano, o órgão ministerial enviou 300 mil doses extras de vacina contra a covid-19 para o estado do Maranhão, quando identificada a variante indiana do coronavírus naquele estado.

“Sabemos que o ministro Marcelo Queiroga está preocupado e empenhado em acabar com a pandemia de covid-19 no Brasil e que tem se mostrado sensível às reivindicações que tem chegado a ele, sempre atento aos cenários que vão se alterando ao longo da pandemia. Foi assim que ele resolveu, em maio, destinar doses extras de vacina para a população maranhense. E eu quero que a população cuiabana seja tratada com o mesmo respeito e a mesma atenção que os moradores de São Luís do Maranhão”, explicou Emanuel.

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet