Olhar Direto

Quinta-feira, 23 de setembro de 2021

Notícias | Cidades

DEU NA GLOBO

Fantástico mostra rotina de famílias cuiabanas que sobrevivem com doação de ossinhos em açougue no CPA II

Foto: Reprodução

Fantástico mostra rotina de famílias cuiabanas que sobrevivem com doação de ossinhos em açougue no CPA II
Reportagem especial do programa dominical Fantástico, da Rede Globo, destacou a escalada da fome no país e deu grande destaque ao drama das famílias cuiabanas que sobrevivem graças à doação de ossinhos – sobras da desossa do boi que contêm retalhos de carne. O caso já foi noticiado por Olhar Direto nas últimas semanas (veja aqui).
 
Leia também:
Açougue do CPA 2 distribui ossinhos a pessoas carentes há dez anos, mas viu procura aumentar na pandemia

De acordo com a reportagem, hoje mais de 19 milhões de brasileiros acordam sem a certeza de que terão ao menos uma refeição no dia. Nesse contexto, ganha relevância nacional a história das pessoas que dependem da doação de retalhos de carne em ossos distribuídos em açougue do CPA II, na periferia de Cuiabá.
 
A dona do açougue, Samara Rodrigues de Oliveira, contou à reportagem da Globo que existem casos de pessoas que comem a carne cura. “Tem gente que pega e come na hora”, relatou. A distribuição é feita há 10 anos, mas a procura aumentou muito durante a pandemia. O açougue precisou reorganizar a doação, que era uma vez por semana e passou a ser realizada às segundas, quartas e sextas-feiras.
 
O Fantástico ainda acompanhou famílias que dependem da doação. Uma das chefes de família que teve a rotina acompanhada não tem casa própria e vive em uma ocupação. "O ossinho que eu peguei na semana passada não dá para a semana inteira", conta ela, na fila. A entrevistada alega que passaria fome se não tivesse a doação semanal.

Outras entrevistadas estavam na fila pela primeira vez. Eram duas vizinhas, mães solo e desempregadas, que só têm como renda o auxílio emergencial pago pelo Governo Federal. Os ossinhos são preparados em fogão à lenha, diante da dificuldade de aquisição de botijão de gás provocada pelos constantes aumentos do insumo. O drama de pessoas que se viram obrigadas a cozinhar em fogão improvisado tendo madeira como combustível também foi tema recente de reportagem do Olhar Direto (veja aqui).
 
Arroz e feijão mais caros
 
Além da proteína animal, famílias brasileiras estão com dificuldade de adquirir a mais bácica e tradicional combinação do prato da culinária do país: o arroz com feijão.
 
A saída para muita gente tem sido colocar na panela arroz fragmentado e feijão bandinha. Para especialistas ouvidos pela reportagem, essas pessoas não estão tendo  a dignidade reconhecida.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet