Olhar Direto

Segunda-feira, 27 de setembro de 2021

Notícias | Política MT

sem estado paralelo

Mauro promete terminar mandato com mais 4 mil vagas no sistema penitenciário e investimento de mais R$ 150 milhões na Segurança Pública

Foto: Marcos Vergueiro/Secom-MT

Mauro promete terminar mandato com mais 4 mil vagas no sistema penitenciário e investimento de mais R$ 150 milhões na Segurança Pública
O governo de Mato Grosso está com planos de finalizar o mandato da atual gestão, em 2022, com mais quatro mil novas vagas no sistema penitenciário, 100% dos municípios tendo rádio digital para comunicação das forças de segurança e toda tropa armada com pistolas importadas, sendo uma para cada policial. 

Leia mais:
Em inauguração de leitos de UTI, governador rasga elogios a prefeito do DEM: “liderança e responsabilidade com o dinheiro público”

O investimento ultrapassa a casa de R$ 150 milhões, sendo que o principal fator de todo aparato preparado pelo Estado é para diminuir ou estancar de vez o crime praticado por facções, que em sua maioria crescem dentro do sistema e obrigam ex-detentos a praticarem mais crimes para sobreviver e continuar sob proteção. 

Em recente evento do estado, o governador Mauro Mendes (DEM) falou sobre os investimentos e garantiu queaté o final de 2022, todo policial terá sua arma. "Até dezembro vamos ter 100% de sua força policial com armamento mais moderno, pistolas clocks, com calibre pesado, tudo novo, zero bala. Hoje, o policial trabalha em Mato Grosso chega no final do turno ele devolve a arma para outro que for assumir use a mesma arma. Nosso projeto é cada policial tenha sua arma. Rádio digital esses dias autorizei 51 municípios, mais R$ 25 milhões e dependendo do nosso orçamento vamos ter pelo menos 100% do estado com rádio digital", comentou o governador.

Para o sistema peniteciário, Mauro também explica sobre as vagas que deverão ser abertas em breve. "Nos 4 anos a meta é fazer 4 mil vagas em nossos presídios. Já me perguntaram o porquê de gastar esse dinheiro tudo com presídio. Algumas coisas eu aprendi e compreendi depois que eu virei governador é que quase 80% das pessoas que eram presas quando saíam do presídio voltavam a praticar crimes. E porque isso acontece? Uns dizem que é falta de oportunidade, emprego e tal. Mas, o verdadeiro motivo é que hoje 90% dos presídios são controlados pelas facções PCC  e Comando Vermelho", frizou. 

Por último, ele afirma que precisa resgatar e separar as facções dos presídios e no fim, o estado precisa resgatar todo sistema, para poder assim fazer a verdadeira ressocialização e depois integrar o reeducando novamente na sociedade. 

"E se o preso sair e não honrar as regras, eles ameaçam, mães, irmãos. Por isso, vamos resgatar os presídios e tirar as facções e fazer um presídio de respeito. Alguns já resgatamos, como é o caso da PCE. Quando isso acontece, a bandidagem retalham, queimam ônibus e fazem o terror. Mas não temos medo. Até o final do ano que vem vamos resgatar todos os presídios. Por isso estamos separando o não faccionando do faccionado e isso tem logíca. Serão mais de R$ 100 milhões em presídio, mais investimento na PM e toda tropa motivada", concluiu o governador. 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet