Olhar Direto

Quinta-feira, 02 de dezembro de 2021

Notícias | Política MT

ESCÂNDALO NA CÂMARA

Juca defende investigação contra secretário exonerado e diz que assédio é intolerável

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Juca defende investigação contra secretário exonerado e diz que assédio é intolerável
Presidente da Câmara de Cuiabá, o vereador Juca do Guaraná (MDB) afirmou que defende as investigações contra o ex-secretário de gestão administrativa do Legislativo, Bolanger José de Almeida, de 71 anos. Ele foi exonerado do cargo após ser alvo de denúncias de assédio a duas servidoras da casa.

Leia também:
Câmara reconhece gravidade de denúncias de assédio e afirma que tomará providências cabíveis

“O fórum adequado é a polícia e Justiça, onde ele terá que provar sua inocência. É algo que em lugar algum pode prosperar, seja na Câmara ou na Assembleia ou Prefeitura. Nós não toleramos”, afirmou.

Juca afirma ainda que conhece Bolanger há 27 anos e que ele terá a oportunidade de se defender e provar sua inocência.

Contador, auditor e consultor de diversas empresas de grande porte, Bolanger foi nomeado em janeiro deste ano para compor a administração do biênio (2021/2022).

O caso

Em boletim de ocorrência registrado dia 26 de julho, uma das vítimas conta que trabalha na Casa de Leis desde 2015. Servidora concursada, afirma que desde que Bolanger assumiu o cargo, teria comportamentos inadequados com algumas funcionárias do setor. O contador faria comentários desagradáveis sobre o corpo da vítima, a chamava de ‘meu amor’ e tocava na mulher enquanto conversava. Incomodada, ela resolveu levar o caso à Polícia Civil.

Já a outra servidora, que trabalha na Câmara Municipal há seis anos, contou que o ex-secretário iria até a mesa dela falando que esteve em “locais finos” no fim de semana e que teria conseguido ejacular duas vezes, mesmo sendo idoso.

Em outra ocasião, Bolanger teria entrado no banheiro feminino para tratar de assuntos de trabalho, e acabou advertido pela vítima, que pediu para conversarem na sala. O então secretário teria dito não perceber que estava no banheiro.

Outro dia, o homem teria pedido ajuda para enviar um arquivo. A servidora pediu para sentar na frente do computador, pois saberia que a intenção de Bolanger seria encostar-se a ela. Quando foram trocar de lugar, Bolanger teria alisado as costas da mulher, pegado no cabelo dela e dito: “Cabelo comprido é bom para isso”, descreve a ocorrência.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet