Olhar Direto

Domingo, 28 de novembro de 2021

Notícias | Cidades

Outra vítima escapou com vida

Acusado de estupro executado em ‘salve’ do CV fez BO no dia em que morreu relatando ameaças

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Acusado de estupro executado em ‘salve’ do CV fez BO no dia em que morreu relatando ameaças
Felipe Fernandes da Silva, 21 anos, morto durante um ‘salve’ [sessão de espancamento] do Comando Vermelho, no dia 15 de setembro, na região do bairro Pedra 90, em Cuiabá, fez um boletim de ocorrências, no dia da sua morte, relatando que uma adolescente de 16 anos, que o acusava de estupro, estaria ameaçando denunciá-lo para o ‘Tribunal do Crime’, do Comando Vermelho (CV).

Leia mais:
Líder do CV é preso em motel acusado de participar da execução de estuprador no 'Tribunal do Crime' em Cuiabá

Foram presos na noite de ontem: Jorge Fernando Rodrigues de Lima, acusado de ser uma das lideranças do Comando Vermelho no bairro Pedra 90 e Bruno Roberto da Silva Martins.
 
Felipe e um outro homem são suspeitos de cometer um estupro no último domingo (12), contra uma adolescente de 16 anos. No dia seguinte, por volta das 5h, ele acabou preso, mas solto em audiência de custódia. O Poder Judiciário impôs medidas cautelares como uso de tornozeleira eletrônica ao acusado.
 
Quando ambos retornaram para a região do Pedra 90, começaram a circular, em grupos do WhatsApp, que integrantes do Comando Vermelho estaria atrás da dupla para aplicar um salve. Inclusive, as fotos dos rapazes estavam sendo compartilhadas.
 
“Na quarta-feira (15) à tarde, Fernando registrou um boletim de ocorrência, dizendo que a vítima do estupro estaria ameaçando denunciar ele parar o Comando Vermelho. Quando saiu da delegacia, os familiares não o viram mais. Um pouco mais tarde, uma parente nos procurou e relatou que ele havia sido capturado por faccionados”, explicou o delegado Mário Santiago, responsável pela investigação, ao Olhar Direto.
 
O corpo de Fernando foi localizado na manhã de quinta-feira, na região do Cinturão Verde, no Pedra 90. “As lesões aparentes mostraram que o Fernando apanhou bastante durante o ‘salve’. Foram utilizadas ripas de madeira. Depois, ele foi executado com sete disparos de arma de fogo, calibre .40”.
 
A equipe da DHPP e Núcleo de Pessoas Desaparecidas (NPD), comandada pelo delegado Mário Santiago, iniciou o cruzamento de dados de tornozelados, já que as duas vítimas estavam utilizando o aparelho de monitoramento. Foi então que descobriu-se que um dos que participaram do homicídio estava no mesmo local.
 
O acusado é morador do bairro Pedra 90 e considerado uma das lideranças do Comando Vermelho na região. Ele foi preso por volta das 20h, dentro de um motel na região do Coxipó, onde sua mulher trabalha.
 
Posteriormente, as equipes conseguiram chegar até o segundo suspeito de ter cometido o crime. Nenhum dos dois confessou o crime. Eles ainda serão ouvidos nesta sexta-feira (17).
 
Todo o trabalho da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e do Núcleo de Desaparecidos (NPD) durou quase 20 horas, desde que foram informados do corpo, até o fechamento da prisão dos dois envolvidos.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet