Olhar Direto

Domingo, 28 de novembro de 2021

Notícias | Política MT

PAI DE FATO?

Emanuel diz que presidente foi esquecido por políticos e aponta Bolsonaro como responsável pela ferrovia estadual

Foto: Luiz Alves

Emanuel diz que presidente foi esquecido por políticos e aponta Bolsonaro como responsável pela ferrovia estadual
Apesar de garantir não ser bolsonarismo (muito menos lulista), o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) rasgou elogios para Jair Bolsonaro (sem partido). Na sexta-feira (01), quando recepcionou o ministro da Educação, Milton Ribeiro, o emedebista afirmou que o presidente tem sido injustiçado e foi esquecido pelas autoridades políticas de Mato Grosso no lançamento da ferrovia estadual, que será construída pelo Rumo Logística S/A.

Leia também:
Ministro defende divisão de institutos federais e foge de questionamento sobre inclusão de Mato Grosso na proposta do MEC

Emanuel avaliou que como é prática comum no meio político, Bolsonaro está privatizando os desgastes e socializando as conquistas. “Recentemente foi lançada a ferrovia estadual, um feito histórico para Cuiabá, idealizado por um grande cuiabano, o senador Vicente Vuolo.  A maioria esmagadora das autoridade esqueceu de lembrar que essa ferrovia, que é investimento privado, só aconteceu pelo espírito desprendido do presidente Jair Messias Bolsonaro”, disse, durante entrega da Escola Cívico-Militar Cuiabana Profª. Maria Dimpina Lobo Duarte.

A maioria esmagadora das autoridade esqueceu de lembrar que essa ferrovia, que é investimento privado, só aconteceu pelo espírito desprendido do presidente

“Ele possibilitou a ferrovia, a articulação da bancada federal fizeram intervenção ao ministro Tarcísio, mas foi o espírito altruísta, patriota e desenvolvimentista do presidente, que abriu mão do protagonismo e entregou para Mato Grosso. E não lembraram do presidente Bolsonaro. Querem socializar o lucro político”, completou.

O contrato de construção da Ferrovia de Transporte Autorizada Olacyr de Moraes (Fato) foi assinado no fim de agosto, após articulação do governador Mauro Mendes (DEM) e dos senadores Wellington Fagundes (PL), Jayme Campos (DEM) e Carlos Fávaro (PSD). Os parlamentares pressionaram o governo federal que ameaçou prejudicar o lançamento do modal, publicando medida provisória, impedindo que estados pudessem realizar concessão de ferrovias, mesmo com a existência de leis estaduais autorizando tais empreendimentos. Após muita pressão, a União garantiu segurança jurídica a Mato Grosso.

Lembrando que a ferrovia estadual só foi lançada após anos de espera para que o governo federal autorizasse a extensão da Ferronorte (Rumo Malha Norte S.A.). Mesmo após a renovação da concessão da malha viária paulista, que viabilizou o interesse da Rumo no trecho, o projeto não saiu do papel.

Emanuel ainda enalteceu Bolsonaro pela vacinação da população, que só teve início em janeiro. O prefeito declarou que apesar de garantir os imunizantes, o presidente, que chegou a tratar a Covid-19 como gripezinha e faz campanha contra o isolamento social e uso de máscaras, é taxado como negacionista injustamente.

“Cuiabá está chegado a 700 mil vacinados em poucos dias. Antes de encontra-lo, estava para decidir se eu libero totalmente a cidade e paro com aqueles decretos que limitavam o direito de ir e vir da população, pois estamos ladeira a baixo da propagação do vírus e em termos de casos confirmados, voltamos aos números de outubro de 2020. Isso é alentador e devemos isso à imunização da população, patrocinado pelo Governo Bolsonaro. E ele recebe uma onda de críticas como negacionista e homem contra as vacinas, eu não consigo entender qual é a falta de elo de comunicação entre o presidente e a sociedade”, pontuou.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet