Olhar Direto

Domingo, 28 de novembro de 2021

Notícias | Cidades

Vias do BRT serão de concreto

Sinfra culpa prefeitura e aponta má qualidade do asfalto e piso alto de ônibus como fatores para incômodos no transporte coletivo; Cuiabá rebate

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Sinfra culpa prefeitura e aponta má qualidade do asfalto e piso alto de ônibus como fatores para incômodos no transporte coletivo; Cuiabá rebate
Em resposta a um questionamento feito sobre a troca do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) para o Ônibus Rápido de Transporte (BRT), a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) culpou a prefeitura de Cuiabá pelos incômodos causados durante o transporte coletivo de passageiros na Capital. A má qualidade do asfalto e o piso alto foram apontados pela Pasta como fatores para os solavancos e a dificuldade das pessoas permanecerem em pé dentro dos veículos. Por fim, cita que as vias do novo modal serão feitas de concreto.

Em resposta, a Prefeitura informou que tem feito diversos investimentos, como 250 km de nova pavimentação construída, beneficiando mais de 50 bairros de todas as regiões da Capital e mais de 270 km de vias alcançadas pelo trabalho de recapeamento. Cita também a aquisição de uma nova frota com 144 ônibus, todos com ar condicionado.

Leia mais:
'Empresário que zela pelo patrimônio não vai entrar numa guerra com o prefeito para construir BRT', alerta Emanuel
 
Gonçalo de Souza Silva, um dos que fizeram uma manifestação contrária ao BRT, pontuou que nenhum dos que estão envolvidos no projeto se utilizam desse sistema de transporte. “Logo, desconhecem o desconforto que é ter que enfrentar fila para adentrar ao coletivo”.
 
“Se sentado dentro do carro já sofremos com os solavancos, imagina quem está dentro do ônibus, em pé, tendo que se equilibrar o tempo todo, desconfortavelmente, ou mesmo, quando o ônibus está superlotado!? Não há qualquer conforto no transporte sobre rodas”, acrescentou o cidadão.
 
Em resposta, assinada pelo assessor especial da Sinfra, Rafael Detoni e o secretário Marcelo de Oliveira e Silva (o Marcelo Padeiro), a Pasta ressalta que e tais desconfortos são resultados da combinação de dois fatores.
 
“O primeiro está relacionado a má qualidade do asfalto mantido, na maioria dos casos, pela prefeitura e o segundo refere-se ao uso de ônibus com chassi de piso alto (com escada dentro do veículo) e motor dianteiro, exatamente os mesmos utilizados atualmente no transporte coletivo de Cuiabá e Várzea Grande”, diz trecho da resposta.
 
A Sinfra explica que os ônibus de piso alto apresentam o centro de gravidade em posição mais elevada em relação ao nível da rua. Assim, qualquer irregularidade no pavimento vai gerar maior balanço interno resultando em maior desconforto, especialmente àqueles que viajam em pé.
 
Detoni pontua que o BRT será operado com veículos mais modernos, dotados de motor 100% elétrico e piso baixo.
 
“Os motores elétricos são extremamente silenciosos e não emitem gases tóxicos (fumaça) sendo, portanto, ecologicamente corretos. O piso baixo, por sua vez, garante maior facilidade de embarque e desembarque, especialmente para as pessoas mais idosas, crianças e pessoas com dificuldade de mobilidade, uma vez que não possuem escadas internas na posição das portas”, aponta outro trecho.
 
Por fim, ainda é dito que, para evitar os solavancos e desconforto a bordo as ruas e avenidas por onde irão circular o BRT receberão novos pavimentos, inclusive de concreto que são mais resistentes e possuem maior durabilidade.

Outro lado

Em resposta, a prefeitura pontua que desde 2017, a gestão de Emanuel Pinheiro tem se empenhado para ampliar o número de ruas pavimentadas e melhorar as condições de uso daquelas que já são revestidas com a massa asfáltica.

Para suprir essa demanda, o município cita a criação do programa Minha Rua Asfaltada que, em quatro anos, alcançou cerca de 250 km de nova pavimentação construída, beneficiando mais de 50 bairros de todas as regiões da Capital.

"As obras são compostas ainda pela edificação da rede de drenagem de águas pluviais, meio-fio e calçada, assegurando a qualidade necessária e aumentando o tempo de vida útil do pavimento. Também está dentro do programa a execução do trabalho de recuperação da malha viária antiga da cidade", acrescenta a nota.

Neste mesmo período, ainda conforme a Prefeitura, foram mais de 270 km de vias alcançadas pelo trabalho de recapeamento."Somado a isso, por meio da Secretaria Municipal de Obras Públicas, a Prefeitura de Cuiabá também possui cinco equipes de Tapa-buraco que, diariamente, atendem as demandas de pequenos reparos. Dessa forma, a gestão tem demonstrado todo seu comprometimento em transformar Cuiabá em uma cidade cada vez melhor para se viver em todas as áreas, inclusive no quesito infraestrutura viária".

O município reforça, por fim, que seguirá se empenhando para suprir a alta demanda de Cuiabá, seja no asfaltamento ou na substituição da frota (recentemente aditivada com mais 144 novos ônibus, todos com ar-condicionado) sempre buscando novos investimentos e aplicando de forma zelosa na solução das necessidades da população.
 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet