Olhar Direto

Quarta-feira, 26 de janeiro de 2022

Notícias | Cidades

com garrafa de vidro

Garota de programa acusa jogador do Cuiabá Esporte Clube de agressão em motel

Foto: Reprodução

Garota de programa acusa jogador do Cuiabá Esporte Clube de agressão em motel
Uma garota de programa denunciou, nesta quarta-feira (8), ter sido agredida por um jogador do Cuiabá Esporte Clube na madrugada desta terça-feira (7), em um quarto do Motel Calla, localizado na Avenida Monte Líbano, saída para Chapada dos Guimarães. Ela afirma que o esportista teria quebrado uma garrafa e a perfurado enquanto ela e mais duas mulheres prestavam serviços sexuais. 

Leia também:
Mulher de 22 anos é resgatada com vários cortes em boate de Cuiabá

De acordo com o boletim de ocorrência, os militares se deslocaram até o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) por volta de meio-dia desta quarta (8). No local, foram informados pela vítima de que ela teria sido golpeada com uma garrafa, que teria sido utilizada pelo jogador do Cuiabá Esporte Clube na terça-feira (7).

Ainda segundo o testemunho, na ocasião, a mulher pediu um Uber e conseguiu deixar o local, se dirigindo a um hotel que fica próximo à Boate Cristal. Lá, ela, então, ingeriu comprimidos de Rivotril, medicamento psiquiátrico indicado para tratamento de ansiedade generalizada e síndrome do pânico. 

Em seguida, ela também tentou cometer suicídio utilizando uma garrafa de vidro quebrada. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) esteve no hotel e encaminhou a mulher para o HMC. O registro foi feito apenas hoje porque a vítima não pode comparecer na data do ocorrido, por ter sido internada.
 
De acordo com o programa Olha Vivo na Cidade, da TV Cidade Verde, que teve acesso a um áudio gravado pelo chefe da profissional do sexo, a moça, no entanto teria forjado a situação. Segundo ele, a vítima teria sido quem quebrou a garrafa e partido para cima das colegas e dos três homens que estavam no quarto do motel. 

“No motel, chegando lá, no final da brincadeira, na hora do acerto ela começou a querer pedir droga, as pessoas que estavam com ela não queriam droga, e ela insistia em pegar droga e ela jogou garrafa nas pessoas, pegou uma garrafa quebrou em uma parede e pegou a ponta dessa garrafa e ameaçou cortar as pessoas”, disse o homem. 

“Em seguida passou a se cortar, esse foi o depoimento das cinco pessoas que eu cheguei lá no motel e encontrei lá. Ela já havia pego um Uber e tinha saído. Eu sugeri a ela chamar a polícia, ela não chamou a polícia, ela vazou do local sozinha, as pessoas foram se afastando ela começou a se automutilar com a garrafa” , complementou. 

Na versão da vítima, entretanto, ela reafirma o que disse aos policiais nesta quarta-feira (8). Sustentou que foi agredida pelo jogador do time cuiabano enquanto as colegas assistiam a cena. No áudio, ela diz ao chefe que vai mostrar o seu estado, e ao mesmo tempo, envia uma foto onde está ensanguentada. Além disso, pede para que ele ajude as colegas que haviam ficado no quarto. 

“Eu vou te mostrar o estado que eu estou . Se você tiver por aí vem aqui só buscar elas, não deixe elas sozinha não, porque na hora que eles me bateram elas não fizeram nada, nada. O cara começou a me cortar, jogou uma garrafa em mim e me cortou e começou a me atacar, me estrangular, me estrangulou e elas não fizeram nada enquanto eu não tive força pra bater, meu dedos tudo torcido sei lá o que aconteceu, elas não fizeram nada ficou defendendo os cara como se eu fosse errada”, disse a vítima em áudio divulgado pela TV Cidade Verde.  

CVV

O Centro de Valorização a Vida (CVV) presta serviço voluntário e gratuito de prevenção do suicídio e apoio emocional para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. Os cerca de 3 milhões de atendimentos anuais são realizados por 3.000 voluntários em 104 postos de atendimento pelo telefone 188 (sem custo de ligação),  ou pelo www.cvv.org.br via chat ou e-mail. A entidade realiza também ações presenciais, como palestras, cursos e grupos de apoio a sobreviventes do suicídio – GASS (https://www.cvv.org.br/cvv-comunidade/).

Sobre suicídio

O suicídio é um problema de saúde pública que mata pelo menos um brasileiro a cada 45 minutos, mais do que a Aids e muitos tipos de câncer, porém pode ser prevenido em 9 de cada 10 casos. O movimento Setembro Amarelo, mês mundial de prevenção do suicídio, iniciado em 2015, visa sensibilizar e conscientizar a população sobre a questão – www.setembroamarelo.org.br
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet