Olhar Direto

Sexta-feira, 27 de maio de 2022

Notícias | Cidades

Desde dezembro

Cuiabá já registra sete casos de ‘Flurona’ e 134 com "Síndrome Respiratória Aguda Grave"

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Cuiabá já registra sete casos de ‘Flurona’ e 134 com
O município de Cuiabá registrou, desde o mês de dezembro, a confirmação de sete casos de coinfecção entre H3N2 e Covid-19, sendo um de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), ou seja, com internação, e seis com síndrome gripal. A pessoa que ficou internada foi uma mulher de 34 anos, em hospital particular, que já recebeu alta.

Leia também:
"Flurona": Cuiabá confirma registro de dupla infecção por Covid-19 e Influenza

Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio da Vigilância de Doenças e Agravos Transmissíveis de Cuiabá, desde dezembro até esta terça-feira (4) foram registrados:

- 134 casos notificados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) entre residentes em Cuiabá, sendo destes:

- 44 confirmados, sendo 33 por Influenza A, quatro por Influenza A H3N2, um por Influenza B, cinco por covid-19 e uma coinfecção por Influenza A H3N2 e Covid-19

Em relação aos moradores de outros municípios atendidos em Cuiabá, foram notificados 34 casos, sendo que oito foram confirmados para Influenza A, um para Influenza A H3N2 e dois para Covid-19.

Já nos casos mais leves, de síndrome gripal, dentre os residentes, foram registrados:

- 118 casos confirmados repassados pelos laboratórios à Vigilância, sendo:

- 88 por Influenza A, 21 por Influenza A H3N2, um por Influenza A H1N1 e um por vírus sincicial. Também houve seis coinfecções por Influenza A H3N2 e Covid-19 e uma coinfecção por Influenza A H3N2 e rinovírus.

Dentre os moradores de outros municípios atendidos em Cuiabá, houve 19 casos confirmados, sendo 16 por Influenza A, dois por Influenza A H3N2 e um por vírus sincicial. “Vale ressaltar que os casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) são aqueles cujos pacientes chegaram a ser internados, enquanto as síndromes gripais são ambulatoriais”, explica a SMS.

Além disso, somente os casos de SRAG são de notificação obrigatória, conforme protocolo do Ministério da Saúde. “A SMS segue atenta ao cenário e atuando com o Plano de Enfrentamento à Síndrome Respiratória Aguda Grave e à Síndrome Gripal, com atendimento em livre demanda nas unidades básicas de saúde para atender os casos leves e orienta a população que mantenha as medidas de prevenção, como a higienização constante das mãos, uso de máscara, distanciamento social e atualização da caderneta de vacinação”, completa a nota.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet