Olhar Direto

Quarta-feira, 18 de maio de 2022

Notícias | Educação

quase R$ 1,4 bilhão

Em quatro anos, Fies repassou R$ 2,5 bilhões a universidades de MT e Unic recebeu mais da metade da receita

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Em quatro anos, Fies repassou R$ 2,5 bilhões a universidades de MT e Unic recebeu mais da metade da receita
Em quatro anos, o Fundo de Financiamento ao Ensino Superior (Fies) repassou mais de R$ 2,5 bilhões para as instituições de ensino superior (IES) de Mato Grosso. Desse total, a Universidade de Cuiabá (Unic) recebeu aproximadamente R$ 1,4 bilhões. A constatação foi feita pelo Olhar Direto com dados do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). 

Leia também:
Bancos aguardam notificação do Conselho Diretor do Fies para iniciar operações de refinanciamento; entenda regras

De acordo com a filtragem, foram repassados R$ 2.528.749.078,19 bilhões para as IES em território mato-grossense, de 2016 a 2020. O período em que mais houve receita foi em 2016. Naquele ano, Mato Grosso recebeu R$ 756 milhões. A partir de 2017, os valores começaram a cair, atingindo o seu menor patamar em 2020, com apenas R$ 117 milhões.

Em relação aos repasses feitos a Unic, o valor recebido durante este mesmo período foi de R$ 1.396.203.538,53. Este montante também equivale a exatamente 55,2% do total que foi repassado pelo FNDE a Mato Grosso. Vale destacar que a universidade possui unidades em Cuiabá, Primavera do Leste, Rondonópolis, Sinop, Sorriso e Tangará da Serra. 

Veja abaixo gráfico comparativo dos recursos do FNDE para o FIES:
Made with Flourish


Vantagem por integrar maior grupo de educação da América Latina

Para o economista Fernando Henrique da Conceição Dias, mestrando em Economia pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a Unic consegue dispor de mais receita do Governo por integrar o grupo Kroton e, também, pela quantidade de alunos matriculados. Em seu site, a universidade informa que possui 20.596 estudantes registrados. 

“Ela faz parte do maior grupo da América Latina, o grupo Kroton, que juntou com a Anhanguera e têm muitos alunos matriculados. Quanto mais cursos, mais alunos você tem nos cursos, [mais] você tem chance de receber mais auxílios. O auxílio do Fies vem justamente através das matrículas”, explica Dias. 

O pesquisador ainda esclarece que o Fies estabelece requisitos para que as IES possam se candidatar para o recebimento de verba. Nisso, a universidade conta com a vantagem de, ao mesmo tempo, integrar um grande grupo e, também, ter a possibilidade de continuar crescendo com o apoio do dinheiro que recebe do Governo. 

“A Unic se beneficia disso porque é uma gigante. Quando você fala da Unic você está falando do grupo Kroton, que é uma gigante e o grupo acaba [se beneficiando] com essa verba, podendo se expandir inclusive”, finaliza.

(Colaborou Lázaro Thor Borges)
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet