Olhar Direto

Terça-feira, 28 de junho de 2022

Notícias | Cidades

RELATOS DE GUERRA

Estudante de MT que mora na Ucrânia dormiu em lan house e quase perdeu amigo em ataque com míssil

Foto: Arquivo Pessoal

Estudante de MT que mora na Ucrânia dormiu em lan house e quase perdeu amigo em ataque com míssil
Os ataques da Rússia contra a Ucrânia já duram quase uma semana. Em Dnipro, quarta maior cidade do país, uma investida russa em uma base militar foi reportada há seis dias. Na ocasião, 40 soldados morreram e 30 construções civis foram atingidas. O estudante de medicina mato-grossense, Sidney dos Santos Júnior, de 23 anos, que mora há quatro anos no local, tem sentido os impactos da guerra. Conforme relatado ao Olhar Direto, o jovem teve que dormir em uma lan house pois não conseguiu chegar em casa. Ele ainda contou que quase perdeu um amigo durante um ataque militar.

Leia mais: 
Estudante de medicina de MT relata violência e medo em cidade ucraniana que teve 40 soldados mortos

“Cena de filme. Antes de ontem eu estava na estação do metrô e fiquei uma hora esperando o trem e ele não veio por causa dos problemas no transporte. Pensei, vou para casa a pé. Andando até em casa, do nada, cinco pessoas encapuzadas me pararam e apontaram uma [pistola] glock para mim. Eu levantei as mãos e respondi que era estudante brasileiro, de medicina. Fiquei traumatizado com a experiência. Pediram meus documentos e eu entreguei e eles me liberaram. Tentei pegar taxi, mas não consegui. Tive que dormir em uma lan house”.



Quem fez a abordagem no rapaz era a Polícia Secreta da Ucrânia, que, segundo ele, está fazendo operações em solo para buscar russos infiltrados no país. “Os cara são muito violentos”. O estudante termina o caso explicando que não conseguiu ir pra casa e teve que dormir sentado na lan house.

Outro episódio relatado por Sidney diz respeito a um de seus amigos que quase morreu após um míssil russo atingir sua residência. “Meu amigo quase morreu. Um míssil explodiu na casa dele e quase que ele morre”.

Com medo e triste por estar vivendo em meio a um cenário de guerra, Sidney explicou que o fato de ser estrangeiro só dificulta sua situação. “Assim que eu resolver essa situação bancária eu pretendo sair. Pois mal estou com dinheiro para comer”, pontuou.

Sob sua visão de estrangeiro no país, Sidney explicou que antes da guerra, era possível enxergar russos e ucranianos como “irmãos”, de convivência normal. Agora, são vistos como “grandes rivais”, finalizou.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet