Olhar Direto

Domingo, 14 de agosto de 2022

Notícias | Cidades

líder de esquema

Vídeo mostra agentes da PF invadindo casa de empresário no Alphaville durante Operação Jumbo

Foto: Reprodução

 Vídeo mostra agentes da PF invadindo casa de empresário no Alphaville durante Operação Jumbo
Um vídeo mostra o momento que os agentes da Polícia Federal invadem a casa do empresário Thiago Gomes de Souza, conhecido como Baleia, 36 anos, na manhã desta segunda-feira (16), no condomínio Alphaville em Cuiabá. Ele é apontado como líder de um esquema de lavagem de dinheiro decorrente do tráfico de drogas que movimentou cerca de R$ 350 milhões em quatro anos. 

Leia também:
Empresário do tráfico pretendia expandir rede de postos de combustíveis em Cuiabá para mesclar dinheiro irregular

Nas imagens é possível ver que há dois carros de luxo estacionados na garagem do imóvel. Os policiais federam pulam o muro e adentram a residência pela porta dos fundos, que está aberta. “Polícia, polícia, polícia. Saia agora com a mão da cabeça”, grita um dos agentes. Veja abaixo:

 

Thiago acabou preso e durante buscas na casa, os agentes da PF encontraram aproximadamente R$ 40,5 mil em espécie, além de joias, aparelhos celulares e documentos. 
 

A ideia chefe do grupo criminoso era de gerenciar uma rede de postos de combustíveis na região metropolitana de Cuiabá. Ele teria comprado os postos Jumbo e Atalaia, ambos localizados na Rodovia Palmiro Paes de Barros, para lavar o dinheiro do tráfico. A PF também investiga uma negociação em um posto da avenida Miguel Sutil.

Todo esquema foi desmantelado na Operação Jumbo. Foram expedidos pela 7ª Vara Criminal de Cuiabá, oito mandados de prisão preventiva, 29 mandados de busca e apreensão, além do sequestro de patrimônios dos investigados que chegam a R$ 60 milhões.

Dos alvos, quatro seriam empresários. Esse núcleo era o responsável pela parte de lavagem de dinheiro através de postos de combustíveis e conveniências, enquanto outros faziam a parte do núcleo de logística do tráfico de cocaína, principalmente com uso de ‘mulas’ na região de fronteira com a Bolívia.

Com apoio do setor de inteligência da Polícia Militar e do Grupo Especial de Fronteira (Gefron), foram apreendidos dois carregamentos de drogas, totalizando 210kg de cocaína.

“A partir da quebra de sigilo bancário, telemático, levantamento de campo, e colaboração de informantes, a Polícia Federal conseguiu identificar que o núcleo empresarial tinha total vinculação com o núcleo dos traficantes”, informou o delegado Jorge Vinícius Gobira Nunes, em coletiva de imprensa na sede da PF.

Os valores adquiridos através do tráfico de drogas eram mesclados aos ganhos regulares dos postos de combustíveis e conveniências, para dificultar que a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) notasse alguma irregularidade.

“Havia uma mesclagem. O dinheiro ilícito era mesclado aos ganhos dos postos. Foram identificadas as pessoas que detinham as principais funções na organização criminosa e elas estão sendo objetos de mandados de busca e mandados de prisão na data de hoje”, pontuou.

As investigações continuam e a PF ainda acredita que possa existir outras pessoas no mesmo nível hierárquico de Thiago Gomes de Souza. 

 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet
x