Olhar Direto

Quarta-feira, 17 de agosto de 2022

Notícias | Cidades

membros de facção criminosa

Criminosos armados com revólver e submetralhadora morrem em confronto com a PM

Foto: Reprodução

Criminosos armados com revólver e submetralhadora morrem em confronto com a PM
Dois criminosos morreram em confronto com policiais militares no bairro São José, em Cáceres (220 km de Cuiabá), na tarde desta quinta-feira (17). Os suspeitos foram identificados como Kauã dos Santos, 17, e Ângelo Luiz Covatti, 22. Eles estavam armados com uma submetralhadora e um revólver calibre 38.

Leia também:
Mãe e filho de 11 anos estão entre as vítimas de acidente com ônibus de viagem na BR-163

De acordo com boletim de ocorrência, a Agência Regional de Inteligência recebeu informações de que membros de uma facção criminosa teriam armas de fogo e estariam escondidos em uma residência no bairro São José.

Diante disso, militares intensificaram diligências pelo bairro e por volta de 16h30, a equipe visualizou um suspeito pela Rua Rio Grande do Sul. Ele estaria com algo na cintura e os policiais emitiram ordem para que ele parasse.
 
No entanto, o suspeito correu com a mão na cintura e a viatura seguiu atrás dele, enquanto acionava reforço da Força Tática. Rapidamente, o batalhão especializado chegou ao local e o oficial de área, juntamente com os militares da FT perseguiram o criminoso até ele entrar em uma casa.

Na residência, havia mais um suspeito e ambos teriam apontado armas para os militares, iniciando uma troca de tiros. A dupla foi atingida e o Corpo de Bombeiros acionado para socorrer os criminosos. Eles foram encaminhados ao Hospital Regional, mas não resistiram aos ferimentos.



No local, a PM localizou duas armas de fogo, sendo um revólver calibre 38, com seis munições intactas e uma arma artesanal semelhante a uma submetralhadora calibre 380, com dez munições intactas.

Em varredura pelo imóvel também foram encontradas mais cinco munições calibre 38 e quatro 380, além de uma sacola com maconha e documentos falsos dos suspeitos.  

O caso é investigado pela Polícia Civil. 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet
x