Olhar Direto

Domingo, 07 de agosto de 2022

Notícias | Cidades

CEGONHA E ACONCHEGO

Expectativa é de realização de até quatro mil partos mensais em Várzea Grande, aumentando em quase 10.000%

14 Mai 2013 - 15:34

Da Reportagem Local em Várzea Grande - Ronaldo Pacheco

Expectativa é de realização de até quatro mil partos mensais em Várzea Grande, aumentando em quase 10.000%
A implantação dos projetos Cegonha e Aconchego no Hospital e Pronto Socorro de Várzea Grande devolvem à unidade de saúde a condição de principal maternidade do município. A explicação partiu do prefeito Walace Guimarães (PMDB), ao explicar a importância da iniciativa, já que o Pronto Socorro, Hospital e Maternidade irá passar a realizar cerca de quatro mil partos por ano, contra os menos de menos de 40 partos executados em 2012, o que representa um aumento de dez mil por cento.

Walace diz que contratos sem licitação foram firmados por questão de urgência para Várzea Grande “não parar”

Com a experiência de ginecologia e obstetrícia, e de quem passou mais de 12 anos urgência e emergência do Pronto Socorro de Várzea Grande, Walace entende que a condição de maternidade pública é a mais importante a ser de desempenhada pelo local, no momento. “Agora, vamos com essa história de que as crianças de Várzea Grande nascem em Cuiabá ou outra cidade. Vão nascer aqui”, disse Walace.

Os projetos lançados pela Prefeitura Municipal acompanham as mães desde o primeiro mês de gestação até as primeiras consultas e vacinas das crianças. “A mãe vai saber como está a sua saúde e a do bebê. Depois do parto, recebe a orientação sobre a saúde da criança, a necessidade da vacinação – com datas corretas – e o acompanhamento da vida da criança”, afirma a secretária Municipal de Saúde, médica Jaqueline Beber Guimarães, que ginecologista.

“Quando a mãe sai da maternidade, já terá marcada a primeira consulta da criança: a puericultura. O bebezinho já terá recebido a vacina BCG, gotinha no olho e, ainda, feito os exames da orelha e o teste do pezinho”, assegura Jaqueline.

Para a maternidade não funcionar e parar, como ocorreu no passado, foram destinados 25 leitos e quatro novas Unidades de Terapia Infantil (UTI neo natal). “Várzea Grande ampliou sensivelmente o Centro Obstétrico”, comemorou o prefeito.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet
x