Olhar Direto

Notícias / Política MT

ALTERNATIVA À VISTA

Jayme Campos nega que tenha rusga com Luiz Pagot e admite deixar Taques para compor ‘terceira via’

Da Reportagem - Ronaldo Pacheco

31 Mar 2014 - 15:32

Jayme Campos nega que tenha rusga com Luiz Pagot e admite deixar Taques para compor ‘terceira via’
O senador Jayme Campos (DEM) aproveitou a presença da maior parte dos veículos de comunicação da Grande Cuiabá, na cobertura de audiência pública sobre o projeto do Pantanal, no auditório Renê Barbour da Assembleia Legislativa, para mandar um recado duro para o senador José Pedro Taques, pré-candidato ao governo de Mato Grosso pelo PDT. “Eu não entro como ‘oferecido’. Vou onde sou convidado. E fui convidado para conversar com o senhor Luiz Antônio Pagot. Vou sim, sem susto”, observou ele, causando surpresa em alguns presentes.

Eraí é cogitado como vice de Pagot e Ana Carla Muniz suplente de Jayme
PTB cansa de esperar ‘sim’ de Taques e lança Luiz Pagot para governador de MT; pupilo de Blairo Maggi

“Se vai existir [terceira via] ou não, é o tempo quem vai dizer. O presidente Júlio Campos [da Executiva Estadual] já avisou que o DEM irá participar da coligação em que for bem tratado e que também tiver assegurada vaga na chapa majoritária. E isso o Luiz Pagot nos assegurou”, alertou Jayme, numa clara advertência a Pedro Taques, que cozinha o DEM em ‘banho e Maria’ desde o segundo semestre de 2013.

Júlio Campos confirmou que a prioridade do DEM é montar um palanque que lhe permita a reeleição de Jayme, seu irmão, além de deputados estaduais e federais, e ainda espaço para a campanha do presidenciável Aécio Neves (MG). “Temos uma imensa responsabilidade com Mato Grosso e vamos nos unir com quem demonstrar respeito ao tamanho do nosso compromisso”, ponderou Júlio Campos.

A declaração de amizade de Jayme com Luiz Antônio Pagot surpreendeu até mesmo os mais experientes na vida pública, em especial por causa de episódios pós 2010.

Em 2006, Jayme Veríssimo de Campos se elegeu tendo Luiz Antônio Pagot como primeiro suplente e o ex-deputado federal e vice-governador Osvaldo Sobrinho (PTB), como segundo suplente. Em 2010, Jayme Campos se licenciou pela primeira vez, mas Luiz Pagot não assumiu e teve a primeira suplência ‘cassada’ pela Mesa Diretora do Senado. Sobrinho assumiu e passou a ser primeiro.

No episódio, o relacionamento de Veríssimo de Campos com Antônio Pagot, que nunca foi um mar de rosas, azedou de vez, com críticas públicas de lado a lado. Todavia, pelas declarações de Jayme, tudo parece superado. "De onde tiraram essa história? Nunca briguei com o Pagot. Pelo contrário: conversamos muito bem", resumiu Jayme.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet