Olhar Direto

Quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Notícias / Política MT

Mensalão: Pedro Henry é réu de MT no maior julgamento da história

O deputado federal mato-grossense Pedro Henry (PP), 55 anos, é um dos 38 réus do mensalão, escândalo de corrupção que marcou o governo Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010) e que começa a ser julgado a partir desta quinta...

De Brasília -- Catarine Piccioni

02 Ago 2012 - 07:00

Foto: Reprodução

Mensalão: Pedro Henry é réu de MT no maior julgamento da história
O deputado federal mato-grossense Pedro Henry (PP), 55 anos, é um dos 38 réus do mensalão, escândalo de corrupção que marcou o governo Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010) e que começa a ser julgado a partir desta quinta-feira (2) pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Se condenado, ele deve perder o mandato, conforme a Constituição Federal. O parlamentar é acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de ter participado das negociações que levaram ao repasse de pelo menos R$ 3 milhões do valerioduto para o PP e ao uso da corretora Bônus Banval para distribuir o dinheiro.

Julgamento do Mensalão começa hoje no STF e define futuro de 38 réus e versão oficial sobre escândalo
Julgamento do mensalão: Olhar Jurídico e Olhar Direto são únicos veículos de MT credenciados no STF

Henry era o líder do PP na Câmara dos Deputados quando o mensalão veio à tona. Responde por crimes de formação de quadrilha, lavagem ou ocultação de dinheiro e corrupção passiva.

O parlamentar nega ter tratado de assuntos financeiros com o PT e diz que não tinha conhecimento da origem ilegal dos valores recebidos pelo PP. 

Conforme o cronograma de julgamento da ação penal 470 pelo STF, a sessão para sustentações orais da defesa do pepista está prevista para quarta-feira (dia 8).

Mandato

De acordo com o artigo 55 da Constituição Federal, parlamentares condenados criminalmente em sentença transitada em julgado devem perder o mandato.

Alvo de processo de cassação de mandato, foi absolvido em julgamento pelo plenário da Câmara em 2006. Na época, ele declarou não ter ficado satisfeito com o resultado, argumentando ter sido vítima de falsa acusação.

O destino dos 38 réus só deverá ser conhecido em meados de setembro, após o pronunciamento dos 11 ministros do Supremo.

Além da ação penal, Henry responde a uma ação de improbidade administrativa, também movida pelo MPF por conta do mensalão.

Vida pregressa

Henry também é alvo de outras ações civis públicas, sendo uma de improbidade administrativa por suposta participação na máfia das ambulâncias (esquema de desvio de dinheiro por meio de fraude em licitações para compra de unidades móveis de saúde).

Formado em medicina, o parlamentar já exerceu mandatos de deputado federal em outras legislaturas (1995-1999, PDT; 1999-2003, PSDB; 2003-2007, PPB; 2007-2011, PP). Ocupou o cargo de secretário de Saúde de Mato Grosso (2011) e foi vice-prefeito de Cáceres, MT (1993-1996, PPS). Ele é irmão de Ricardo Henry (ex-prefeito de Cáceres). Presidiu a Companhia de Saneamento do Estado de Mato Grosso (1995-1996).

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • phant
    04 Ago 2012 às 07:29

    Faz esse biquinho na prisão ,vai ver o q acontece

  • Douglas tadeu
    02 Ago 2012 às 09:36

    E ainda tem gente que vota nete cidadão... é uma absurdo o nosso governador conceder um cargo executivo no estado, com um curriclu deste!

  • JUCABALA
    02 Ago 2012 às 08:36

    Tá aí um lugar que ele deveria estar há muito tempo: no banco dos réus!!!!!! agora é só aguardar a pizza!!!