Olhar Direto

Quinta-feira, 02 de abril de 2020

Notícias / Política MT

Novo secretário de Agricultura fecha Intermat e demite cargos comissionados via ofício em mural

Da Redação - Ronaldo Pacheco

14 Jan 2015 - 20:50

Foto: Mayke Toscano/Secom-MT

Novo secretário de Agricultura fecha Intermat e demite cargos comissionados via ofício em mural
Mesmo sem apresentar um cálculo preciso sobre a suposta economia proporcionada no comparativo custo-benefício, o novo secretário de Estado de Agricutura Familiar, Suelme 'Biela' Fernandes, demititu todos os servidores em cargos comissionados e fechou o Instituto de Terra do Estado (Intermat). Todos os cerca de 70 detentores de cargos de Direção e Assessoramento Superior (DAS) foram comunicados nesta terça-feira (13), via ofício circular, que estavam exonerados desde a última segunda-feira (12).

O órgão baixou as portas, suspendendo  "todos atos administrativos e jurídicos relativos à emissão de documentos, licitações, titulações, vistorias técnicas e recolhimentos" de propriedades rurais em Mato Grosso. Os contribuintes estão impedidos de dar entradas em processo, solicitar certidões, títulos, vitorias e outros serviços. Quem procurar o Intermat, só vai encontrar informações.

Evangelista Fernandes tomou a decisão com aval do governador José Pedro Taques (PDT) e  o ofício foi afixado no mural na entrada do Intermat. O secretário afiançou que  os exonerados receberão proporcionalmente o mês de janeiro desde que comprovem o efetivo trabalho no setor de Recursos Humanos.  

Suelme explica que a medidade é para garantir maior transparência ao orgão e baseia a portaria como uma forma de "avaliar os fluxos e processos administrativos da instituição à luz da legalidade e eficiência do serviço público e desafios da nova gestão".

A portaria justifica  que a paralisação temporária dos serviços, que não tem previsão de retorno, é para "ouvir, observar, elaborar melhores e novas estratégias de atender ao público que necessita dos serviços" do instituto.  

Supersalários  

A reportagem do Olhar Direto apurou que, na verdade, está sendo promovida uma autêntica devassa na administração Afonso Dalberto, diante de diversos atos considerados suspeitos. O estopim foi o pagamento de   supersalários para ele próprio e mais quatro  servidores  Intermat: R$ 276 mil. A a analista fundiária Domingas Silvia Correa Nascimento recebeu quase R$ 100 mil, enquanto Afonso Dalberto recebeu mais de R$ 60 mil.
 
Também foram beneficiados pelos supersalários os  agentes fundiários e agrários Edmir Léo Monteiro e Odemir Meireira de Castilho.
 
O valor mais alto foi destinado a Domingas Correa do Nascimento, a quem o Tesouro do Estado pagou mais de R$ 94,6 mil a título de salário.  Na época, Dalberto  assegurou que os valores a mais correspondem a férias não gozadas por ele e pelos demais servidores.

51 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Iracema Cordeiro
    25 Fev 2015 às 13:53

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • vinicius
    17 Jan 2015 às 00:39

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Concursado !!!
    15 Jan 2015 às 18:37

    Boa tarde a todos !!! Ao ler os comentários, muitas vezes intolerantes, de algumas pessoas e após muito relutar resolvi escrever. Em março farei 13 anos no serviço público estadual e nesse período afirmo que vi muito mais ociosos concursados do que comissionados. Dentre estes, com os que convivi no dia-a-dia laboral pelo menos, trabalhavam e muito, porque tinham que trabalhar dobrado para produzirem e se manterem no cargo. Eu tive oportunidade de ter meus pais que pagaram meus estudos e pude obter êxito em várias provas. Vi que muitos por trabalharem exaustivamente saem esgotados do trabalho e ainda vão para faculdades e cursinhos, outros ganham tão pouco que têm que estudar por conta. Comentaristas, vamos ter um espírito mais Cristão, pedir sensatez a Deus antes de crucificar pessoas que nem conhecemos, não sabemos a realidade dessas pessoas e o que as impedem de passar em concursos públicos !!! PS.: Ouvi discurso de um dos novos Secretários do Governador Taques o qual asseverou que o atual governo enfatizaria a Meritocracia e o Profissionalismo, até agora só vi exonerações sumárias, às quais ocorrem também no CEPROMAT. Não há como esquecer de um refrão de uma música do saudoso CAZUZA: " Eu vejo o futuro repetir o passado, eu vejo um museu de grandes novidades, o tempo não pa

  • Maria
    15 Jan 2015 às 18:12

    Em 2011, quando o Dep. Zé Domingos entrou na SEDRAF, ele demitiu vários comissionados por intermédio de uma carta de demissão, e os mesmos só foram exonerados efetivamente mais de 30 dias depois, e não houve qualquer tipo de reportagem mídia... Quanto ao Intermat, só quem trabalhou naquele prédio sabe da arrogância e prepotência do Sr. Afonso Dalberto e da Sra. Domingas Silvia... Tratavam os funcionários do Intermat e dos demais órgãos que se utilizam das dependências do Edificio Ceres com muito desrespeito. Na época dos núcleos sistêmicos, eu trabalhava no Núcleo Agropecuário, e o INDEA, SEDRAF, EMPAER e INTERMAT tinham que se utilizar do núcleo para realização de todos seus atos administrativos... Advinhem quem não respeitava tal determinação??? O Intermat. Não faziam nada pelo núcleo, tudo por conta própria, inclusive suas licitações e contratações. Pq será? O Intermat precisava desse limpa!!!

  • Hélio Santos
    15 Jan 2015 às 17:59

    Difícil ler os comentários e ver tanta ingenuidade. Car@s comentaristas, isso é o que todos os novos secretários fazem: demite os antigos comissionados. O que devemos ficar atentos é aos nomes dos novos. Só após ser nomeados os novos comissionados é que podemos verificar se houve alguma mudança ou não. Não adianta nada comemorar agora, já que o que o Suelme "Biela" fez é praxe em novos governos. Nos primeiros dias exonerações em massa, para criar um clima de mudança real. Até parece que as pessoas se esquecem dos primeiros dias de Blairo Maggi no governo. Não foi isso mesmo que ocorreu? Vamos acompanhar as novas nomeações e aí sim constatar se houve ou não mudança.

  • Zinei
    15 Jan 2015 às 17:29

    Antes tarde do que nunca, esta farra na adm pública tem que acabar, alias que isto se repita nas outras secretarias, orgãos e entidades do governo. Este governo deixará marcas de eficiência. Vamos em frente que ainda tem muito o que se fazer.

  • Elaine
    15 Jan 2015 às 16:39

    Desde que comecei a trabalhar com topografia em Mato Grosso que venho dando entrada em trabalhos e nunca são analisados espontaneamente seguindo a sequencia. So com muita insistência e amolação para conseguir, se não ficar lá toda semana fica muitos anos e nunca pega uma anuência ou um documento qualquer que seja. Vamos lá novo administrador faça alguma coisa por nós.

  • Roberto pães de barros
    15 Jan 2015 às 16:18

    E claro que eles vão econexa. Tem um monte aguardando para ser nomeado. Nada vai mudar. Quer dizer vai mudar e as pessoas.

  • WASHINGTON LUIZ LOPES FILHO
    15 Jan 2015 às 16:09

    PARABÉNS , TAQUES É ASSIM FALA E FAZ....

  • Andrea
    15 Jan 2015 às 15:48

    Pra descordar com uma atitude dessas que foi tomada pelo secretário só tem que ser apadrinhado por esse administrador. Tem que mandar embora sim, uma vez que gastam o dinheiro publico a seu próprio favor.

Sitevip Internet