Olhar Direto

Quarta-feira, 17 de julho de 2019

Notícias / Política MT

Pivetta apresenta proposta com redução de 7 secretarias e tira poder financeiro da Sefaz

Da Redação - Raoni Ricci

15 Out 2014 - 11:51

Foto: Raoni Ricci / Olhar Direto

Pivetta apresenta proposta com redução de 7 secretarias e tira poder financeiro da Sefaz
O coordenador da equipe de transição de Pedro Taques (PDT), Otaviano Pivetta (PDT), apresentou hoje (15) para a imprensa a proposta de reforma administrativa que ainda vai apresentar ao futuro governador nos próximos dias. A palavra de ordem é enxugar. A ideia é reduzir de 19 para 12 o número de secretarias e cortar o excesso de cargos comissionados da máquina pública. Cerca de 30 pessoas compõem a equipe de Pivetta, que explicou que só aguarda a publicação de um decreto do governador Silval Barbosa (PMDB) para iniciar, na prática, a transição.

Leia mais
Silval determina que somente documentos oficiais devem ser passados para Taques 

“O governador vai chegar e vai tomar conhecimento dessa proposta e acho que ele vai gostar, pois ele quer isso, a sociedade quer isso. Ele vai ter que convencer os deputados a aprovarem essa reforma administrativa”, afirmou Pivetta, que é prefeito de Lucas do Rio Verde, mas está licenciado para ajudar Taques na montagem do novo governo.
 
Pela proposta da equipe de transição, o Executivo seria dividido em dois eixos, sendo um denominado de Desenvolvimento Social e Humano, e o outro de Desenvolvimento Econômico e Territorial. O primeiro abrangeria as secretarias de Saúde (SES), Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Segurança Pública (Sejudh/Sesp), Esporte Lazer, Trabalho e Assistência Social (Seltas), Secretaria de Educação (Seduc) e Secretaria de Ciência e Tecnologia (Secitec).
 
No segundo eixo, de Desenvolvimento Econômico e Territorial, estariam as pastas de Secretaria de Meio Ambiente (Sema), Secretaria de Cidades e Desenvolvimento Regional (Secid), Secretaria de Transporte e Obras Públicas (Setop), Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec), Secretaria de Planejamento e Finanças (Seplan), Secretaria de Gestão (Seges) e Secretaria de Fazenda (Sefaz).
 
Dentre as principais mudanças, destaque para as alterações na função da Sefaz, que passa a ser apenas um órgão recebedor dos tributos, deixando de executar os recursos e fazer os pagamentos. Essa responsabilidade ficará a cargo da Secretaria de Planejamento e Finanças (Seplan). As secretarias de Comunicação e Cultura podem ser extintas. A Comunicação deve ser anexada a Casa Civil. A de Cultura será transformada em superintendência, fundida com o Turismo.
 
Outro grande desafio será o corte de gastos com cargos comissionados. Segundo Pivetta, o Estado possui cerca de 6.400 cargos de confiança, porém mais de 4 mil estão sendo ocupados por funcionários efetivos. A meta é reduzir muito, porém ainda não se sabe quantificar essa redução. Questionado sobre a postura do futuro governador em relação ao cargos comissionados que seriam ocupados por emrpesas terceirizadas, o coordenbador disse desconher que isso ocorra na gestão atual. 
 
“Quantos aos efetivos que ocupam os comissionados, esses vão continuar efetivos e nós vamos motivá-los, dar ânimo para que eles possam produzir mais. Os que são apenas cargos de confiança, com exceção dos imprescindíveis, serão desligados automaticamente no dia 31 de dezembro. Pretendemos diminuir, vamos ser ousados, vamos diminuir muito”, ressaltou o coordenador.
 
Pivetta explicou que como compensação aos cortes de pessoal, será implantado o princípio da meritocracia na gestão, estimulando os gestores de carreira com remuneração maior de acordo com seu mérito, com a sua produtividade.
 
“O mercado paga para qualquer executivo razoável uma média de R$ 40, R$ 50 mil. O Estado não tem capacidade de pagar esses valores para atrair essas pessoas notáveis. Precisamos diminuir o número de secretarias para com isso pegar esses voluntários que estão dispostos a abdicar dos seus negócios para doar um pouco do ser trabalho para o serviço público”, defendeu Pivetta.
 
O coordenador da equipe de transição pontuou que assim que Silval publicar o decreto da transição, Taques e seus representantes vão iniciar conversas com a Assembleia Legislativa para que o orçamento para 2015 seja ajustado ao que sugere o grupo de Pedro Taques. “Se necessário vou pedir para que a Casa Civil pegue de volta o orçamento para fazermos adequações”, disse Pivetta. 

30 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Jefferson Borralho
    17 Out 2014 às 14:33

    Sr. Governador Eleito, Pedro Taques. Mato Grosso tem conquistado espaço no cenário nacional em razão de sua estruturação política no setor cultural. Neste sentido, afirmo que se trata das conquistas de base do setor cultural, não de gestão política casuística e de atuação de instâncias recalcitradas de vícios, que juntos não representam o fazer cultural do nosso povo, mas oportunistas de causa própria. Assim, extinguir a Secretaria de Estado de Cultura, significa punir os honestos operadores de Cultura do Estado, com a interrupção desse processo de construção positiva e moderna e, sobretudo, eliminar Mato Grosso dos benefícios econômicos e políticos previstos no SNC- Sistema Nacional de Cultural. Sr. Governador eleito, Pedro Taques, governar também é avançar além do conquistado, e para tanto, faz-se necessário conhecer a natureza do objeto que se queira eliminar – estruturação política, programas e projetos identificar os entes e seus respectivos níveis de relação política. Portanto, governar é não decidir pela aparência, mas pela essência, posto que é aqui que nos situamos – somos operadores honestos de vanguardistas na construção do setor político cultural do Estado de Mato Grosso com observância acurada dos preceitos constitucional que nos asseguram o nosso avançar, por iss

  • Matheus
    16 Out 2014 às 09:57

    Então vai parar o estado, eu concordo que tem muitos comissionados que não faz nada, mas tem outros, que faz os serviços deles e dos concursados juntos,

  • CUIABANO PORRETA
    16 Out 2014 às 09:21

    CAROS ELEITORES DO TAQUES . PORQUE A SURPRESA? ELE NAO REPRESENTAVA A MUDANÇA? ESTA AI A MUDANÇA ORAS. ESTAO SUPRESOS EM VER O PIVETTA NA FRENTE DA MUDANÇA? MAS FOI DITO INSENSANTEMENTE QUE QUEM GOVERNARIA NAO SERIA O PEDRO E SIM O GRUPO DO AGRONEGOCIO. PORQUE O ESPANTO AGORA? OU VOCES QUE VOTARAM ESTÃO QUERENDO SE POR MAIS DE OTÁRIOS AINDA NAS NOSSAS FRENTES COM ESSES COMENTARIOS RIDÍCULOS QUE AQUI LEIO , DEMONSTRANDO SURPRESA NAS COISAS. MUITOS COMISSINADO VOTARAM NO CARA . SÓ LEMBRANDO QUE ELE VAI ENXUGAR OS CARGOS COMISSIONADOS. A SECRETARIA DE CULTURA VÃO SOFRES BAQUES TERRIVEIS , DAQUI A POUCO NEM VAI MAIS EXISTIR. LONGE DO DISCURSO DELE EM EPOCA DE CAMPANHA QUE FALAVA AOS COTOVELOS DA VALORIZAÇÃO DESSA PASTA E CLASSE. QUEM NÃO ESTA SENDO PREJUDICADO EM NADA COM ESSAS MUDANÇAS ESTA ACHANDO ÓTIMO , MAS NO OLHOS DOS OUTROS É REFRESCO. ESTA AI SENHORES A MUDANÇA. AGORA NÃO ADIANTA CHORAR E LAMENTAR COM CARINHA DE SURPRESOS.

  • arildo
    16 Out 2014 às 09:18

    sr governador pedro taques o sr deveria ter vergonha e pedir para nao assumir o governo fazer o povo votar em sua pessoa e agora nao aparece mais nem em jornal de bairro se vc ja percebeu sua foto nao esta em noticiario algum agora eh so piveta e etc acorda em quanto eh tempo o povo nao vai aceitar essa enganacao vai se precisar vamos para a rua mas ai esse piveta meercenario nao fica ou voce assume seu compromisso com a populacao ou pede pra sair que seria mais digno da sua parte

  • Alcimar Moretti
    16 Out 2014 às 08:48

    O Trade de Turismo não aceita a extinção da Secretaria de Turismo e vamos lutar por isso.

  • maria
    15 Out 2014 às 21:27

    Perai.. deixa ver se eu entendi vcs vão enxugar?? Vão mandar um monte de gente embora, extinguir secretarias e aumentar o salário dos chefoes!? Que boa forma de enxugar heim torar uns dez pra aumentar o salário de um!

  • chico
    15 Out 2014 às 20:35

    O cara da cooperlucas, Piveta, comandando o estado. Cade a mudanca??? Cade a moralidade? Nos votamos no taques ou nele?? Abeam o olho.. quem vai comandar o estado sao empresarios..

  • medianeira
    15 Out 2014 às 19:20

    ...será que é possível "DESVOTAR?" eu votei pro senador, e agora me vem este pivette no comando.... que decepção.....

  • CUIABANO PORRETA
    15 Out 2014 às 16:58

    DEVERIA SER CRIADA UMA CARREIRA ESPECIFICA PARA OS ENGENHEIROS DO ESTADO. ISSO SIM SERIA MOTIVAÇÃO E NÃO ESSE SALARIO PAGO EM INICIO DE CARREIRA , QUE FEZ COM QUE MAIS DE CINQUENTA POR CERTO DOS APROVADOS EM CONCURSO NAO TOMASSEM POSSE. O CREA FICA OMISSO EM RELAÇÃO A ESSE ASSUNTO E NÃO PRESSIONA O ESTADO. O SALARIO NEM DE PERTO CHEGA PERTO DO PISO SALARIA DO MERCADO. O GOVERNADOR PODERIA REVER ESSE ASSUNTO ESQUECIDO POR OUTROS GESTORES.

  • Manezinho
    15 Out 2014 às 16:51

    Tirar os pagamentos da SEFAZ e passar para SEPLAN... sei não... a SEPLAN vai ter que mudar muito.

Sitevip Internet