Olhar Direto

Quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

Notícias / Política MT

Falta de recursos levou governo estadual a atrasar salários de 4% dos servidores

Da Redação - Laíse Lucatelli

01 Abr 2016 - 17:04

Foto: Rogério Florentino Pereira/OD

O governo estadual atrasou em um dia salário de algumas categorias

O governo estadual atrasou em um dia salário de algumas categorias

Por falta de recursos, o governo estadual atrasou em um dia o salário de algumas categorias, que foi pago somente nesta sexta-feira (1º). O atraso atingiu cerca de 4% dos 80 mil servidores ativos e inativos, de pastas como o Gabinete de Governo, Gabinete de Comunicação, Secretaria de Gestão, Casa Civil e Secretaria de Fazenda. A última categoria a receber foi a Fiscais de Tributos Estaduais (FTE), cujo pagamento caiu na conta ao meio-dia.

Em reunião com o Fórum Sindical, na manhã desta sexta, o secretário de Gestão, Julio Modesto, informou que houve falha no repasse de recursos federais que iriam compor os valores para quitação da folha de pagamento dos servidores. Desse forma, os pagamentos foram feitos de forma escalonada, e algumas categorias ficaram para esta sexta. 

Leia mais:
Governo alerta Fórum Sindical sobre riscos ao pagamento do reajuste anual e discute calendário mês a mês
 
“Fomos procurar o secretário nesta sexta para cobrar o pagamento das categorias que faltavam, e ele nos atendeu prontamente. Tem havido diálogo entre o Fórum Sindical e o governo. Porém, as promessas não cumpridas nos deixam inseguros. A situação daqui para a frente é imprevisível. Os secretários disseram que iam publicar um calendário de pagamento deste ano e não publicaram. Que iam mostrar os números do governo e não mostraram. Que iam discutir a situação financeira do governo mês a mês e não discutiram”, pontuou o presidente do Sindicato dos Servidores da Saúde e do Meio Ambiente (Sisma), Oscarlino Alves.

O padrão do Poder Executivo é pagar os salários no último dia útil do mês trabalhado, desde o governo Blairo Maggi (PR). Porém, em razão das dificuldades no fluxo de caixa, o governo Pedro Taques (PSDB) vem debatendo com o Fórum Sindical possibilidade de mudança dessa data. Como os sindicalistas rechaçaram a mudança, o governo se comprometeu a discutir a data de pagamento mês a mês. Em março, a promessa foi de que os salários seriam pagos dentro do mês. Em nota, a Secretaria de Gestão afirmou que “o Estado tem trabalhado arduamente para quitar a folha de pagamento dos servidores no último dia útil do mês”.

Oscarlino cobrou, também, que os outros poderes dividam com o Executivo a responsabilidade sobre os problemas financeiros do Estado, que afetam a folha de pagamento do governo. Ele defendeu, ainda, que o pagamento de todas as categorias seja feito de uma só vez, para que o banco credite os salários à meia-noite, e não de forma escalonada ao longo do dia, como vem acontecendo.

Na próxima semana, Julio Modesto deve voltar a se reunir com o Fórum Sindical para debater outras pautas, como a reposição da inflação prevista no Reajuste Geral Anual (RGA). O secretário já alertou os sindicalistas sobre a dificuldade de honrar o reajuste de 11,28% previsto para a data base em maio, referente à inflação 2015.

Uma das receitas esperadas pelo Estado para ajudar na folha é o Auxílio Financeiro para Fomento às Exportações (FEX), que deve ser pago em três parcelas a partir de abril. Dos R$ 422 milhões que a presidente Dilma Rousseff (PT) se comprometeu a repassar a Mato Grosso, R$ 317 milhões devem ficar com o governo e o restante será dividido entre os municípios. 

37 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por justiça
    02 Abr 2016 às 13:57

    minha gente abra o olho com este governo assunta o que ja esta acintecendo acorda mato grosso

  • CARLOS
    02 Abr 2016 às 12:53

    Arrecadação aumentou ???? Vejo falarem isso.. GOVERNADOR PEDRO TAQUES esclareça isso... Sabemos da crise... transparencia, ainda que assustadora é mais importante nesse momento histórico. já basta essa sua filiação estupida no PSDB. O senhor só saiu perdendo. Deveria ter ido para outro partido... PV, PSB, REDE, sei lá. sua ida para o PSDB deu argumentos para os insatisfeitos... EXPLIQUE SOBRE A ARRECADAÇÃO... NÃO DECEPCIONE

  • GERALDO
    02 Abr 2016 às 10:34

    Entrou como herói, eu mesmo votei duas vezes e, confio na sua honestidade, mas pelo andar da carruagem vai ser lembrado como um administrador que não conseguiu manter nem a folha, afinal pelos noticiários a arrecadação continua boa, só acho que não deve cometer o mesmo erro do Blairo/silval em relação aos concursos, pois em relação a honestidade é o melhor, não é momento para abrir concurso, demita os comissionados, digo isso com pesar pois todos precisam de trabalho.

  • Revoltado
    02 Abr 2016 às 10:18

    Isso aí observador, enquanto muitos reclamam sem enm saber oque tão falando, existem fatos que não podem ser ignorados. Como diminuicao e atraso nos valores repassados pelo governo federal. E ainda querem justificar que esse governo tem mais apadrinhado do que o governo anterior, sendo que não é verdade. Oque é verdade é q o ex governador apadrinhava milhares e ainda dava reajustes altíssimos (se apadrinhar e me der aumento tudo bem, se não me der aumento aí não está bom.) O velho pensamento do rouba mais faz. Votem no PT para o governo do estado, que daí o estado quebra de vez junto com o Brasil! Bando de gente hipócrita e reclamando de barriga cheia! Se não está satisfeito faz outro concurso, vai pra iniciativa privada ou abre uma empresa. Por essas e outras que empresários e profissionais de empresas privadas ( que tem q sobreviver dia por dia) tem ASCO de servidores públicos.

  • Todeolho
    02 Abr 2016 às 08:46

    Muito simples diminuí realmente não só para mídia o excesso de cargos dga. Ádrinhados políticos sem necessidade, grande maioria nem tem mesa ou computadores pois a estrutura não comporta a quantidade atual. Só perambulam pelos cantos, nas salas dos csfezinhos. Só fazem política e viajam com diárias absurdas . Ai vem descontar nos servidores. Acho que deveria ter um grupo do governo para sair entre as secretarias verificando o fato. Muita coisa pra mudar por enquanto só no gogó.

  • dima lima
    02 Abr 2016 às 08:37

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • XIKO
    02 Abr 2016 às 07:47

    Um dia esse não é considerado atraso, e mais tem muitos funcionários públicos com tempo de serviço que não faz nada, só fica esperando final do mês para receber seu salário e vejo muitos comissionados que trabalha mais que esses sangue suga do governo.

  • Observador
    02 Abr 2016 às 07:23

    O repasse da União para o Estado caiu 82% segundo fontes do próprio governo. Portanto nessa briga entre governo do Estado e governo federal quem vai virar refém será o funcionário público. A companheirada que está com o burro na sombra assiste esta briga de camarote.

  • Igor
    02 Abr 2016 às 07:23

    PSDB NUNCA MAIS.......

  • Gil
    02 Abr 2016 às 06:38

    Vc está certinho Leandro, aumentar os impostos das empresas e dos cidadãos pra pagar vossos salários. Bonito pra "tcha cara".

Sitevip Internet