Olhar Direto

Domingo, 15 de setembro de 2019

Notícias / Política MT

Pedro Taques recebe estudo de viabilidade do VLT para entregar à Justiça nesta segunda-feira e ainda não leu

Do Enviado Especial à Transpantaneira, em Poconé - Ronaldo Pacheco

24 Jan 2016 - 08:40

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Pedro Taques recebe estudo de viabilidade do VLT para entregar à Justiça nesta segunda-feira e ainda não leu
O formato da decisão do Poder Judiciário é que vai apontar se o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) será concluído. A tese partiu do governador Pedro Taques (PSDB), neste sábado (23), após inaugurar pontes de concreto na Rodovia Transpantaneira (Poconé), ao revelar que o governo de Mato Grosso entregará para a Justiça Federal, na tarde desta segunda-feira (25), o estudo de viabilidade da conclusão das obras do VLT.
 
Pedro Taques revelou que começou a ler na noite de sexta-feira (22) o relatório sobre a viabilidade do VLT, elaborado pela KPMG Consultoria Ltda. “Não consegui ler tudo. Li durante a madrugada, fiquei com sono e fui dormir. E não posso anunciar à imprensa antes de entregar para a Justiça Federal, no processo entre o Governo do Estado e o Consórcio VLT”, justificou ele, pontuando que a situação exige cautela e sabedoria.

Leia mais:
Taques inaugura pontes na Transpantaneira e explica que não asfalta para manter ecossistema
 
O chefe do Poder Executivo argumentou que o documento extratifica o VLT, como um todo. “O que foi gasto? Quando e quanto foi gasto? E o que ainda precisa ser gasto com o VLT? É viável, do ponto de vista financeiro? Quanto será a tarifa?”, observou ele, para a reportagem do Olhar Direto.
 
“É certo que o Gabinete de Comunicação irá marcar uma entrevista coletiva na segunda-feira à tarde para expor a situação para a sociedade, de forma que todos entendam o conteúdo do estudo”, emendou Taques, ao confirmar que a consultoria apresenta o parecer técnico em três estudos: o primeiro trata da viabilidade técnica do modal, o segundo apontará o melhor modelo de operação e o terceiro irá abordar a questão tarifária. A previsão é que o relatório final da consultoria seja entregue até o final de fevereiro.
 
O assunto é tratado com ‘segredo de Estado’ e Pedro Taques vai trazer em fevereiro a Cuiabá o ministro Gilberto Kassab (PSD), das Cidades. O vice-governador Carlos Fávaro, presidente regional do PSD, possui estreito diálogo com Kassab. Taques  vai pedir apoio da União para concluir a questão do VLT, já que a Capital e Várzea Grande estão com suas principais vias ‘rasgadas’ até hoje, à espera das obras de conclusão do VLT.
 
“O ministro Gilberto Kassab está confirmando sua vinda a Mato Grosso no dia 4 de fevereiro, para que possamos saber se o Ministério das Cidades pode ou não nos ajudar, a partir do resultado da KPMG”, completou Pedro Taques.
 
Na semana passada,  o secretário Eduardo Chilleto, das Cidades, confirmou para a reportagem do Olhar Direto que as obras ficarão mais caras, mas disse que caberá ao governador fazer o anúncio à sociedade.  Chilleto observou que o aumento no valor é devido ao reajuste anual do contrato.
 
A KPMG foi contratada pelo governo do Estado por determinação da Justiça Federal. A consultoria custou R$ 3,8 milhões, que deverão ser pagos pelo Consórcio VLT, formado pelas empresas Santa Bárbara, CR Almeida, CAF Brasil Indústria e Comércio, Magna Engenharia Ltda. e Astep Engenharia Ltda.
 
Sem a decisão do Poder Judiciário, a retomada das obras do Veículo Leve Sobre os Trilhos (VLT) fica sem data certa. Os serviços estão interrompidos há 13 meses.

O Consórcio VLT solicitou mais prazo e mais recurso financeiro para concluir a obra, que deveria ter ficado pronto para a Copa do Pantanal FIFA 2014, em Cuiabá. Iniciada em 2012, a obra de implantação do VLT ainda não possui projeto executivo. O governo de Mato Grosso entende que o Consórcio VLT exigiu “condições totalmente inapropriadas e destituídos do mínimo de fundamento lógico-jurídico”.
 
O Poder Executivo de Mato Grosso cita que a obra, orçada inicialmente em R$ 1,4 bilhão, já teria consumido R$ 1,066 bilhão. Contudo, a empresa afirma que esses valores precisam ser corrigidos por causa da inflação e atrasos nos pagamentos na gestão passada.  

12 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • manoel
    25 Jan 2016 às 11:20

    Tem muita gente equivocada achando que VLT é um trem Bala, um Metrô ou Eurostar que são veículos de altíssima velocidade. Nada disso. O VLT é um Bonde. Isso mesmo. Um bonde moderno, claro. Vagaroso com velocidade Máxima de 60 km/h mas muito pontual. Não polui a cidade, não consome petróleo, pneus e autopeças. Talvez por isso tem muita gente torcendo contra. Cuiabá merece sem dúvida um transporte descente e moderno. É viável em todos os aspectos. Agora, cá prá nós: Tem muita gente fazendo "cu doce"para a conclusão do VLT aqui.

  • ze
    24 Jan 2016 às 22:24

    Maioria das pessoas não sabe, mas para implementar um BRT de verdade tem que fazer uma pista separada das avenidas. (neste ponto e igual ao VLT) Os ônibus do BRT anda separados dos outro veículos. Ou seja a implantação agora do BRT vai gastar igual ou pouca coisa diferente, por que alem de continuar abrindo os canteiro das avenidas, ainda vai ter que comprar os ônibus do mesmo geito. por que para começar a o trajeto tem que ser de asfalto rígido. Quem conhece o BRT de Curitiba, sabe do que eu estou falando.

  • Gerson
    24 Jan 2016 às 16:48

    Bom agora vamos trabalhar chega mim,mim,porque 4 amos passa logo, Silval vai voltar vai fazer as obras.....kkkkkkk mesmo estando na jaula..... eu lembro quando os famosos apresentadores de TV Cuiabá falarão nunca está se fazendo tanto por Cuiabá. com Silval Barbosa está fazendo. Uhai. sumiram todos apresentadores de TV nossos Estado porque será.. R$R$R$R$R$R$# kkkkk

  • ivano
    24 Jan 2016 às 15:21

    Nossa hilton.... Tudo que vc escreveu mostra que o seu conhecimento de uma obra assim é nada.... Vai estudar pra pelo menos escrever certo.... "pereferia, imbicis"... vai estudar

  • Analista político
    24 Jan 2016 às 14:04

    Nesta manhã o jornal gazeta digital publicou os envolvidos na operação OURO DE TOLO e tinha funcionário de terceiro escalão da SEDEC envolvido e mais um parente dele com sua microempresa. Pouco depois tudo desapareceu.

  • hilton
    24 Jan 2016 às 11:54

    Governador: Para que VLT, em cuiaba 70% dos moradores tem carro proprio, as vezes dois carros na área ou fundo do quintal, anda pela pereferia, e veras os mais humildes com dois carros, a casa está caindo na cabeça, falta alimentação, saude, mais o carro está de amostra para todos verem. Voces já viram os trilhos do VLT em Vaezea Grande, cercado de postes e deverá colocar além disso, uma tela para os imbicis não atravessarem na frente do VLT, coisa muito feia, sem aparencia nenhuma. Governador: minha opinião, faça o mesmo até o Atacadão que já está de bom tamanho, não vamos deixar cuiaba mas feia do que está. Se alguem roubou dinheiro do VLT, que vão para prisão, que fiquem lá por um bom tempo. Não vamos individar, vamos dar trabalho para o povo é a melhor solução, vamos educar o povo, vamos dividir as coisas, não ficar concentrado, só em pessoas que roubam, ainda existe gente boa, é claro, pouco. Falta oportunidade, vamos dar valor a essas pessoas que procuram os politicos e eles batem com a porta na cara. O sr. já destampou a panela.

  • Jose
    24 Jan 2016 às 10:57

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • maria
    24 Jan 2016 às 10:43

    Gastaram e pouco fizeram, agora na atual situação não tem grana! VLT se tornou veiculo leve da traquinagem!

  • Nilson Batista Duarte
    24 Jan 2016 às 10:26

    Investir em VLT, no atual estado das coisas, também é investir em saúde e respectivamente em segurança, pois VLT significa energia limpa, significa segurança de trafego e, em comparacao com os nossos onibus, significara DIGNIDADE CUIABANA!

  • valdemir
    24 Jan 2016 às 09:39

    eu acho uma forma de gastar mais ainda o dinheiro do cidadão isso era melhor arrumar a avenidas e comprar ônibus brt pronto acaba com isso .

Sitevip Internet